Ceclin
out 20, 2016 0 Comentário


MPPE adere a campanha de combate ao desaparecimento de crianças e adolescentes

mppe-ministerio-publico-de-pernambuco (1)

O Ministério Público de Pernambuco apoia a campanha do Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Conselho Regional de Medicina (Cremepe) de combate ao desaparecimento de crianças e adolescentes. O procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra de Holanda, recebeu o presidente do Cemepe, André Dubeux, e o presidente do Sindicato dos Médicos, Tadeu Calheiros, em reunião no MPPE.  A ideia da campanha é divulgar no meio médico e para a população uma série de recomendações que possam impedir ou dificultar possíveis desaparecimentos. Além disso, a ideia é que tanto a comunidade médica quanto a sociedade possam atuar no resgate dessas crianças e adolescentes.

“A adesão do MPPE à campanha é de suma importância para crescimento do alcance da iniciativa, principalmente pelo prestígio do órgão perante a sociedade”, destacou o presidente do Cremepe, André Dubeux. Por sua vez, o procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra de Holanda, agradeceu o reconhecimento quanto à importância do Ministério Público para a sociedade e se colocou à disposição para que a campanha possa virar um projeto permanente dentro da Instituição.

“Essa campanha é de grande importância para a sociedade e acredito que essa parceria entre o MPPE, o Cremepe e o Sindicato dos Médicos vai trazer uma repercussão positiva. Não vamos medir esforços para buscar caminhos para que faça parte da cultura da nossa sociedade a defesa da criança e do adolescente” disse. Já o presidente do Sindicato dos Médicos, Tadeu Calheiros, acredita que o apoio do MPPE dará uma nova dimensão à campanha. “Nós não medimos esforços para atuar nessa causa. E nós esperamos que o apoio do MPPE numa ação como esta venha, de certa forma, a coibir esse tipo de ação”, declarou.

Também presentes à reunião, os coordenadores dos Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Infância e Juventude, da Cidadania, e da Saúde, promotores de Justiça Luiz Guilherme Lapenda, Marco Aurélio Farias e Édipo Soares, respectivamente, manifestaram total apoio à causa. O coordenador do Caop Cidadania, promotor de Justiça Marco Aurélio Farias, parabenizou as entidades pela iniciativa. “Parabenizo por abraçar essa causa que não é fácil. As motivações para esses crimes são diversas. Há a ideia errada que a pessoa que sequestra uma criança tem o desejo de ser pai. Mas, na maioria dos casos, é para que elas sejam escravizadas, tanto no trabalho, quanto sexualmente, ou até para a venda e tráfico de tecidos humanos”, explicou.

Já o coordenador do Caop Infância e Juventude, promotor de Justiça Luiz Guilherme Lapenda, chamou atenção para um novo tipo de desaparecimento de crianças, que é aquele praticado por um dos pais. “O casal se separa e um dos pais some com a criança, foge, vai para outro país”, disse. Para ele, essa campanha terá sucesso junto à sociedade. “Estamos batalhando o apoio da sociedade civil e uma campanha encabeçada por essas entidades ganha muita força. Apoio é fundamental para tentar minimizar esse problema”, argumentou. Para o coordenador do Caop Saúde, promotor de Justiça Édipo Soares, a primeira reunião foi apenas o início de uma ação que pode crescer e chegar a todos os municípios de Pernambuco.

“Esse é um momento histórico nessa caminhada em defesa da sociedade”, disse. Ainda na reunião, outras propostas surgiram para otimizar o alcance da campanha e o envolvimento de outros órgãos públicos, a fim de traçar um plano mais abrangente e eficaz. Alerta Amber – Durante a reunião, o presidente do Cremepe ainda avisou sobre as negociações para implantação do Sistema Amber, que é um sistema de alerta de emergência, implantado nos Estados Unidos (EUA), sobre o rapto de crianças.

O programa America’s Missing: Broadcast Emergency Response (Desaparecimento na América: transmissão de resposta de emergência) recebeu esse nome para que sua sigla pudesse homenagear Amber Hagerman, uma criança raptada e assassinada no Texas, aos 9 anos. Nos EUA, os Alertas Amber são distribuídos através das estações de rádio, na internet e televisões abertas e a cabo. Na iniciativa do CFM e do Cremepe, no Brasil, a ideia é que esse alerta siga por SMS, com os números de contato e a foto da criança. “Ainda estamos em negociação, mas esperamos conseguir implantar aqui no Brasil”, sinalizou o presidente do Cremepe.

com Informações da Assessoria