Ceclin
ago 30, 2016 0 Comentário


MP de Gravatá investiga possíveis crimes ambientais no Rio Ipojuca

PGN_0039

Promotora de Justiça, com atuação no Meio Ambiente, quer se aprofundar nos possíveis crimes ambientais praticados no Rio Ipojuca (Foto: Clebson Amsterdan/arquivo).

A 2ª Promotora de Justiça da Comarca de Gravatá, com atuação na curadoria do Meio Ambiente, divulgou oficialmente a abertura de inquérito civil para apurar notícias de bloqueios no curso do Rio Ipojuca, em Gravatá, através de aterros que interromperiam o leito normal do rio, além da extração de argila e a coleta de água através de motores bomba. A Promotora de Justiça, Dra. Fernanda Henriques, investigará se há ou não possíveis danos ao meio ambiente.

As investigações devem ser concluídas em até 90 dias, ou se necessário, poderão ser prorrogadas pelo mesmo período. A representante do MP já comunicou a abertura do inquérito a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável de Gravatá, e requisitou informações atualizadas sobre a notícia de fato, devendo, inclusive, informar quais as providências que foram adotadas para impedir o possível crime ambiental.

Gravatá Notícias