• Ceclin
ago 24, 2015 0 Comentário


Movimento ‘A Ordem É Para Todos’ chega a Vitória de Santo Antão

mov oab vitoriaO movimento ‘A Ordem É Para Todos’ promoveu um bate papo informal durante almoço que reuniu alguns advogados no Restaurante Carnes & Galettos, os quais pretendem iniciar as atividades em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata. A equipe critica a falta de atenção da direção da Ordem de Advogados do Brasil – seccional Pernambuco (OAB-PE) à classe jurídica.

Em conversa ao Blog A Voz da Vitória na tarde desta segunda-feira (24), acompanhado pelos demais integrantes do Movimento, o advogado Jefferson Calaça (vídeo abaixo) relatou as necessidades dos advogados do Estado. “O movimento visa a discutir os problemas, as propostas e as necessidades dos advogados de Pernambuco, para que a OAB-PE assuma essas propostas a nível estadual e valorize a categoria”, informou, ressaltando que o movimento começou com 72 advogados e hoje já tem mais de 1.500 em 15 grupos de WhatsApp e mais de sete mil curtidas no Facebook.

Para discutir o assunto com os advogados da região, será realizada uma ampla reunião com a categoria em Vitória no dia 14 de setembro, às 12h30. Como a ideia é expandir o movimento em todo o Interior, Calaça também tem tido uma intensa agenda nos demais municípios, para tratar do mesmo tema. O objetivo desses encontros é fortalecer a advocacia pernambucana e intensificar a discussão participativa com os profissionais da classe.

calaçaO Movimento tem constatado o abandono da OAB-PE com os profissionais do Interior. Em alguns locais, não existe qualquer assistência pela Entidade de Classe. Em Vitória e Gravatá, por exemplo, além da falta de juízes nas varas cíveis e trabalhistas, não há salas adequadas para os advogados trabalharem.

A OAB-PE hoje não é do advogado. A OAB hoje está nas mãos de uma casta”, sentenciou Calaça. “O Movimento está oficializado. Agora vamos partir para sair com um nome que possa representar esta união”, sinalizou, em razão da próxima eleição da OAB estadual e suas Seccionais estarem marcadas para ocorrer no próximo dia 19 de novembro.

O Movimento surge em Vitória de Santo Antão declarando oposição ao atual presidente da OAB seccional Vitória, Washington Amorim, que completa 16 anos no comando do órgão, onde abrange Vitória, Pombos, Glória e Gravatá. Amorim se encontra em seu 5º mandato consecutivo. Na direção da OAB Vitória já passaram nomes como Ubirajara Carneiro, Fernando Moura e Aluizio de Melo Xavier. Uma chapa para contrapor Amorim já começa a ser articulada em Vitória, onde detém nesta região cerca de 150 advogados militantes.

Confira as propostas apresentadas:

» Profissionalização e contratação de advogados para a defesa de nossas prerrogativas na capital e no interior;
» Criação de uma central de serviços de cooperação entre advogados em todas as áreas jurídicas, coordenada pelo conselho estadual e com valor mínimo dos atos processuais estipulado;
» Reabertura do escritório modelo e implantação de uma política de qualificação do jovem advogado e formação continuada pela escola superior da advocacia;
» Garantia de um piso salarial digno e melhorias nas condições de trabalho, para combater a precarização da classe;
» Instalação de um portal de transparência com suas receitas e despesas expostas publicamente, sem omissão de informações;
» Congelamento do valor da anuidade durante a próxima gestão, garantindo que seja a menor do país;
» Defesa dos honorários advocatícios para combater o seu aviltamento pela magistratura;
» Luta pela suspensão de prazos e audiências durante trinta dias corridos para os advogados, a exemplo da conquista obtida na Justiça do Trabalho pela Abrat (Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas) e AATP (Associação dos Advogados Trabalhistas de Pernambuco);
» Disponibilização de wi-fi para os advogados em todos os fóruns judiciais de Pernambuco.
Vamos levar a Caravana da Advocacia a todas as cidades de Pernambuco, defendendo uma postura amplamente democrática da nossa Ordem.
Defendemos:
» Uma diretoria e um conselho efetivamente colegiado, compostos por advogados militantes, possuindo uma composição equitativa de 50% entre homens e mulheres;
» O fim da reeleição do presidente;
» Eleições diretas para todos os cargos que possuam indicações de advogados, tais como: quintos constitucionais, vogais e representações em câmaras;
» Participação ativa nos movimentos em prol da cidadania e dos Direitos Humanos;
» Criação da Campanha de Valorização do Advogado, alertando a sociedade civil para os riscos do desmerecimento da nossa profissão;
» Fim da submissão a qualquer interesse de particular, partidário ou de Governo, seja ele nacional, estadual ou municipal;
» Sólida estrutura financeira, com prioridade para os investimentos na qualificação e defesa dos advogados nas suas prerrogativas;
» Criação de um veículo de informação que sirva de instrumento de divulgação para toda a classe, sem enaltecer os seus próprios integrantes;
» Defesa da acessibilidade dos advogados portadores de necessidades especiais, para que tenham irrestrita acessibilidade ao ambiente e aos instrumentos de trabalho, com especial olhar às dificuldades criadas pelo PJe;
» Defesa do exercício da mulher advogada, sem limites e discriminações da sua atuação no ambiente de trabalho;
» Repúdio a qualquer discriminação ao profissional da advocacia;
» Autonomia e independência em relação ao Poder Judiciário.

Movimento começa a ganhar corpo em Vitória. Fotos: A Voz da Vitória / AVV Imagem

Movimento começa a ganhar corpo em Vitória. Fotos: A Voz da Vitória / AVV Imagem