Ceclin
jun 22, 2011 0 Comentário


Mototaxistas de Caruaru são regulamentados

A profissão de mototaxista, agora, é regulamentada em Caruaru. A medida tornou-se possível, ontem, após a sanção de uma lei municipal. Com isso, passam para a legalidade cerca de 2,6 mil trabalhadores que já atuavam desde 1996, quando o serviço passou a ser permitido na cidade.

A expectativa da categoria é ter os mesmos direitos de outros veículos de transporte de passageiros, como táxis e ônibus.

O primeiro desses direitos, segundo o presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Caruaru (Sindmoto), Israel Fernandes, é o de usar a placa vermelha. “A lei é um grande reconhecimento para a categoria e vem trazer muitas melhorias para nós. Com a placa de veículo de transporte de passageiros, nós podemos obter financiamento barato e isenção de impostos para comprar o nosso instrumento de trabalho, que é a motocicleta”, disse.

A lei foi assinada no hall da Prefeitura de Caruaru, com a presença de cerca de 80 profissionais, que chegaram a fazer um buzinaço em comemoração à entrada em vigor da resolução. O prefeito José Queiroz relembrou a caminhada de quase 16 anos até a regulamentação dos mototaxistas.

“Por muito tempo a categoria só ouviu promessas que não se confirmaram. A população chegou até a temer o mototaxista, que em alguns momentos era tratado como bandido, mas resgatamos a dignidade desses trabalhadores e regularizamos o exercício da profissão. Essa lei é mais um passo que a cidade dá para reconhecer o serviço prestado por esses pais de família”, afirmou o prefeito.

Mesmo com o clima de comemoração, o secretário executivo da Autarquia Municipal de Defesa Civil, Trânsito e Transporte (Destra), coronel João Bosco, lembrou que o serviço ainda tem muito a melhorar. “Em relação ao que já foram os mototáxis em Caruaru, estamos melhor porque hoje temos controle sobre o pessoal. Mas temos que melhorar a organização dos trabalhadores para que eles obedeçam às resoluções da Destra, como o uso da indumentária obrigatória e dos itens de identificação do condutor e do veículo”, relatou.

(Folha de Pernambuco).