Ceclin
jul 04, 2016 0 Comentário


Menores: mais de 10,5 mil homicídios por ano

menor detido

O Brasil registrou 10.520 assassinatos de crianças e adolescente em 2013, o equivalente a quase 29 casos por dia. A quantidade, que só tem crescido desde 1980, coloca o País só atrás de México e El Salvador, como o terceiro mais violento do mundo entre 85 nações – de uma lista foram retirados países com conflitos, como a Síria.

Os dados integram um estudo que foi encomendado pela Secretaria de Direitos Humanos do governo Federal, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e foi divulgado na última quinta feira. A análise mostra que as mortes de crianças e adolescentes por causas naturais sofreram queda de 78,5% em 33 anos, enquanto os óbitos por causas externas – que inclui acidentes de trânsito, suicídios e homicídios – cresceram 22,4%.

O que explica esse crescimento, segundo análise, é “a escalada de um flagelo que se transformou, ao longo dos anos, na maior casa de letalidade de nossas crianças e adolescentes: a violência homicida”. O estudo lembra que a quantidade de crianças e adolescentes mortas diariamente equivale a três chacinas da candelária, que deixou oito jovens mortos, em 1993, no Rio.

“Se a chacina levantou indignação, protesto e mobilização da sociedade – pelo brutal extermínio, bem maior, contínuo e crescente, permanece oculto bob um véu de indiferença”, informa o estudo.

A pesquisa revela ainda que durante o primeiro ano de vidas as mortes por causas naturais representam quase a totalidade dos óbitos a partir dos 14 anos, as causas externas ultrapassam as naturais e, aos 18 anos, representam 77,5% das mortes dos jovens nessa idade, dos quais 49% são casos de assassinatos.

Agência Estado