• Ceclin
nov 27, 2019 0 Comentário


‘Membros da família’, animais de estimação agora podem ser cremados em Pernambuco

O serviço de cremação custa R$ 1300. Divulgação / Cemitério Morada da Paz / Grupo Vila

O serviço de cremação custa R$ 1300. Foto: Divulgação / Cemitério Morada da Paz / Grupo Vila

O ‘Vila Pet’ é iniciado ainda em dezembro deste ano e recebe pets de até 100kg

 JC Online

Quem tem um animal de estimação em casa conhece muito bem o amor dele junto aos tutores que, muitas vezes, o considera parte da família. Além da hora da morte desse companheiro ser um momento difícil, há muita incerteza sobre como se despedir. Por isso, o Cemitério Morada da Paz, em Paulista, traz o Vila Pet, o primeiro crematório especializado para animais de Pernambuco, que tem previsão de início para a segunda quinzena de dezembro de 2019 e custa R$ 1.300 para pets de até 100kg.

A novidade será lançada durante a PetNor 2019, Feira de Produtos e Serviços para a Linha Pet e Animais de Produção, o maior encontro do segmento de Veterinária e Zootecnia do Norte e Nordeste do Brasil. O evento acontece de 28 a 30 de novembro, no Centro de Convenções de Pernambuco.

Vila Pet
O Vila Pet contará com urnas especiais para este segmento. O forno apresenta uma tecnologia de ponta e totalmente brasileira, possuirá sistema inteligente de baixo consumo de gás, monitoramento contínuo dos gases e software exclusivo de gerenciamento da cremação. Os tutores recebem as cinzas em até dez dias e apenas animais domésticos podem ser cremados.

Segundo o Cemitério, o serviço foi desenvolvido com base em pesquisas que constataram a grande dificuldade que as pessoas possuem hoje em dia de resolver trâmites quando um animal de estimação morre. De acordo com o diretor executivo Ibsen Vila, a proposta é atender a uma demanda de mercado que já predomina em diversos países e em algumas regiões do Brasil. “Vamos proporcionar uma despedida digna aos animais de estimação que, para muitas pessoas, são como membros da família. O serviço é inovador e conta com o padrão de qualidade, respeito e credibilidade que são marcas do Morada da Paz”, assegura.

Segundo Ibsen Vila, o diferencial do Vila Pet será a experiência que a empresa adquiriu ao longo de 71 anos de atuação no segmento funerário do Nordeste, como também no Vila Pet do Rio Grande do Norte, em funcionamento desde 2016. “Nosso padrão de excelência no cuidado com as famílias que perderam seus entes queridos refletirá também no atendimento e apoio que esperamos proporcionar no complexo do crematório pet em Pernambuco”, destaca ele.

Pets no Brasil
Segundo dados de 2018, da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), existem no Brasil aproximadamente 54,2 milhões de cães e 23,9 milhões de gatos. Além deles, há 19,1 milhões de peixes ornamentais e 39,8 milhões de aves canoras e ornamentais. Outros animais somam 2,3 milhões, totalizando 139,3 milhões de pets em escala nacional. Um levantamento do Instituto Pet Brasil de 2018 revela que o Nordeste é a segunda maior região do Brasil com maior concentração de animais de estimação, com 21,4%, ficando atrás do Sudeste, que possui 47,4%.

Cremação
A cremação tem crescido significativamente nos últimos anos, no Brasil e no mundo. Até meados dos anos 1990, o país contava com um único crematório — o Crematório da Vila Alpina, em São Paulo (SP). Hoje, existem mais de 100 no País. Apesar desse crescimento, ainda é pequeno o número de cremações realizadas no Brasil. De acordo com o Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (Sincep), entre 8% a 9% dos entes queridos que partem são cremados.

Porém, ao contrário do que ainda acontece hoje no Brasil com a cremação de humanos, a cremação de cães e gatos tem sido a opção mais adotada entre os proprietários que perderam seus animaizinhos. Segundo o Sincep, o número de crematórios PET está em torno de 80. Um exemplo do tamanho deste mercado é o Pet Memorial, crematório de animais localizado em São Bernardo do Campo (SP). Primeiro crematório pet do Brasil, começou sua atuação em 2000 realizando uma média de 30 cremações por mês. Hoje, o crematório realiza uma média de 1.000.