Ceclin
jan 08, 2009 0 Comentário


MEC divulga portaria que cria os institutos federais de educação

Do JC OnLine
Com informações do MEC
O Ministério da Educação assinou portaria nessa terça-feira, publicada nesta quarta-feira (7) no Diário Oficial da União, divulgando a relação das escolas técnicas que integrarão cada um dos 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Presentes em todos os estados, os institutos farão parte da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. De acordo com a portaria, Minas Gerais, com cinco institutos, é o estado mais contemplado.Em Pernambuco, haverá o Instituto Federal de Pernambuco, com os câmpus do Recife, Barreiros, Vitória de Santo Antão, Belo Jardim, Pesqueira, Ipojuca, Garanhuns, Caruaru e Afogados da Ingazeira. O Instituto Federal do Sertão de Pernambuco terá os câmpus de Petrolina, Petrolina-Zona Rural, Floresta, Salgueiro e Ouricuri.
A expansão do ensino profissionalizante, com início em 2005 e conclusão prevista para 2010, é a maior da história do país. “Não há precedentes para o crescimento da rede e menos ainda para o novo modelo de ensino profissionalizante que está sendo proposto”, diz o secretário da Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco.
O cronograma de implementação prevê a inauguração de 30 escolas técnicas até março. Desde o início da expansão, em 2005, já foram entregues 75 unidades em todo País. Até 2010, serão 214.
A relação publicada no Diário Oficial indica todos os municípios que receberão escolas técnicas. Serão 312 campi em todo o território nacional, com atuação no ensino médio integrado ao técnico (50% das vagas). Neles serão oferecidos cursos de licenciaturas (20%) e cursos superiores de tecnologia ou de bacharelado tecnológico (30%), além de especializações, mestrado e doutorado profissionais.
“Os institutos assumem o compromisso de intervir em suas regiões, de identificar problemas e criar soluções tecnológicas para o desenvolvimento sustentável, com inclusão social”, afirma Eliezer Pacheco. A proposta é formar profissionais capazes de se adequar às mudanças do mercado de trabalho e ir além do simples ensino de ofícios, com a articulação entre o ensino técnico e o científico.
A lei que criou os institutos foi sancionada em 29 de dezembro do ano passado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. (Jornal do Commercio).