• Ceclin
jun 21, 2011 3 Comentários


Mata Sul repleta de “clássicos políticos”

MANOEL GUIMARÃES

A um ano das convenções partidárias, a Folha de Pernambuco promove uma série de reportagens mostrando o processo de construção dos palanques em todas as regiões do Estado.

Após um apanhado nos cenários do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e demais municípios da Região Metropolitana, é a vez da Zona da Mata, que possuía 948.566 eleitores em 2010, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral.

A despeito das eleições na capital, no interior existe uma tendência pela polarização, com dois candidatos disputando voto a voto. Em alguns casos pode surgir uma terceira via. Um dos fatores que colaboram para esta situação é o fato de nesses municípios haver segundo turno. Além disso, na maioria dos casos a divisão de um grupo costuma a favorecer mais ao adversário. O embate na Mata Sul será abordado nesta primeira parte. Na página 4, a Mata Norte ganha destaque.

Um dos chamados “clássicos da política” mais esperados para a próxima eleição se dará em Vitória de Santo Antão. Nono maior colegiado eleitoral de Pernambuco, em 2010, com 93.545 eleitores cadastrados, o município é comandado por Elias Lira (DEM), que tentará a reeleição. Segundo informações de bastidores, a disputa será acirrada, já que do outro lado estará seu principal adversário, o ex-prefeito e atual vereador José Aglailson (PSB), que, em 2008, tentou sem sucesso fazer Demetrius Lisboa (PSB), o Dedé, como sucessor – o socialista acabou perdendo para Elias por 232 votos. Os rivais tiveram uma espécie de “prévia” no final do ano passado, quando Aglailson foi eleito presidente da Câmara Municipal com apoio da bancada oposicionista. Na ocasião, o socialista derrotou Pedro Queiroz (PPS), candidato de Elias, por seis votos a cinco.

Dois filhos da ex-prefeita de Rio Formoso, Graça Hacker (PMDB), deverão vivênciar eleições polarizadas. Em Sirinhaém, o prefeito Fernando Urquiza (PTB) deve lançar seu vice, Franz Hacker (PMDB). O adversário deve ser o ex-prefeito Alberto Machado, socialista histórico e muito ligado ao governador Eduardo Campos (PSB). Em 2008, Urquiza se reelegeu em cima de Alberto, por uma diferença de 256 votos. Já em Tamandaré, o prefeito Hildo Hacker (PTB) caminha para a reeleição. Ele pode repetir o duelo de 2008 com Paulo Guimarães (PSB), que foi o primeiro gestor do município. No entanto, outro socialista poderia entrar na disputa contra Hildo: o também ex-prefeito Paulo Romero, o Paulinho.

O maior clássico pode ocorrer em Joaquim Nabuco, com a presença de até três nomes. João Carvalho (PSB) tentará a reeleição contra o ex-prefeito e ex-deputado estadual Marco Barreto (PMN). A dúvida é se o ex-prefeito e ex-deputado Eudo Magalhães, pai do atual deputado Clodoaldo Magalhães (PTB), também disputará ou se irá compor em um cenário com o socialista. Um ‘revival eleitoral’ de 2008 deverá ocorrer em Água Preta, onde o prefeito Eduardo Coutinho (PSB), que busca a reeleição, deve enfrentar novamente o ex-prefeito Paulo Barreto (ex-PR).
Outra disputa acirrada é esperada em em Cortês, onde o prefeito José Genivaldo dos Santos, o Geninho (PSB), tentará a reeleição. Apesar de ainda não confirmar, o adversário deve ser o ex-prefeito Ernane Borba (DEM). Ambos já foram aliados, tendo o socialista sido eleito vice na chapa com o democrata, em 2000. Quatro anos depois, se enfrentaram na reeleição de Borba. Em 2008, Geninho venceu Osvaldo Feijó (PMDB), candidato do rival.

A oposição em Pombos tende a se juntar para tentar impedir a reeleição de Jane Povão (PR). Estão nas ruas os nomes dos vereadores Genaro da Pedreira (PSB) e Marcos da Porteira (PCdoB), o ex-prefeito Josuel Vicente (PTB) e o ex-candidato Elias Melfir (DEM). O democrata é, inclusive, casado com a vice-prefeita Jane Melfir (DEM), hoje rompida com a gestora.
(Folha de Pernambuco).