Ceclin
fev 06, 2015 0 Comentário


Martins pontua as razões do Concurso da Prefeitura de Vitória ter sido prorrogado pela 3ª vez

Promotora do MPPE, Lucile Girão Alcântara, aguarda parecer do TCE sobre Concurso da Prefeitura da Vitória.

Promotora do MPPE, Lucile Girão Alcântara, aguarda parecer do TCE sobre Concurso da Prefeitura da Vitória

Concurso da Vitória de Santo Antão vira gangorra!

Por Elias Martins 

Com todo o respeito aqueles que viraram dias e noites sonhando em ser funcionários públicos, que investem em cursinhos, coisa e tal.

Não é a toa que me insurgi pela suspensão do lançamento do Concurso Público da Prefeitura da Vitória de Santo Antão.

Dia 06 de janeiro Representei ao Ministério Público de Pernambuco;

Dia 07 de janeiro fui informado pela Promotora que vários pontos do edital necessitavam de retificação, e alguns deles importantes na preservação do direito dos inscritos. Trinta dias após a informação, “Data Venia” nada foi encaminhado;

Temos ainda a questão principal:  O comprometimento de gastos com pessoal que a Prefeitura alega 57,25% e eu insisto em 67,26% por fortes razões técnicas, até agora não havendo resposta do TCE;

CONCURSOAs inscrições que seriam até dia 26/01, passou para 05/02 e agora 13/02.  Sou capaz de apostar que ainda haverá prorrogação para 19/02;

O pagamento inicialmente que era 06/02, foi prorrogado para dia 20/02; já que as provas objetivas (também adiadas) serão realizadas nos dias 19 e 26 de abril, de acordo com o cargo.

O Município que devia ter declarado suas contas do ano de 2014, através do RREO – Relatório Resumido de Execução Orçamentária e o RGF – Relatório de Execução Fiscal no dia 30 de janeiro,  não o fez ao SISTN – Sistema de Coleta de Dados Contábeis, e o prefeito poderá pagar multa de R$ 20 mil (seu salário mensal) ao TCE;

O que estaria por traz de tudo isso?  O Concurso é um fiasco de inscrições ou de Arrecadação?  O Concurso estaria preocupado apenas no volume de arrecadação, já que aparentemente a remuneração do IPAD é mínima para o certame (R$ 198.000,00)?

Recentemente o Secretário de Governo Sr. Ozias Valentim, declarou em uma emissora local que o concurso é necessário para buscar o equilíbrio das Contas do VitoriaPrev.  Pelo visto, ele não conhece muito profundamente esta questão.  Para o atual equilíbrio do VitoriaPrev, as discussões deveriam ser outras.  O Concurso é faca de dois gumes para o Fundo Previdenciário Municipal.  E imagine uma adaga daquelas Árabes, afiada dos dois lados?

A demora de um posicionamento do TCE e do Ministério Público, passados 32 dias da Representação, só deixa as pessoas mais confusas e mais céticas em relação ao real objetivo do Concurso.  Não é essa a minha intenção ao Representar.

Martins ColunistaPelo visto, aparento ter razão nas minhas justificativas, se considerarmos a velha máxima, “QUEM CALA CONSENTE!”.  Várias fases iniciais do concurso chegaram até a ser prorrogadas.  Fatos que infelizmente soam em total DESCREDITO ao Concurso.

Até agora ninguém oficiou os possíveis erros de interpretação de minha parte.

Mas, Poderes são Poderes!     Eu sou apenas Elias Martins, com muito orgulho!