Ceclin
jun 28, 2010 0 Comentário


Mais municípios em calamidade pública

As desapropriações de dois terrenos nas cidades de Água Preta e Palmares foram só as primeiras. A edição de amanhã do Diário Oficial do Estado deve trazer decretos referentes a pelo menos mais duas áreas, uma em Barreiros e outra em Barra de Guabiraba, com aproximadamente 200 hectares cada uma.

Ontem à tarde, os projetos referentes a essas localidades já estavam prontos, aguardando apenas a assinatura do governador. Já foram identificadas áreas passíveis de desapropriação em nove cidades onde foi decretado estado de calamidade pública: Correntes, Cortês, Jaqueira, São Benedito do Sul e Vitória de Santo Antão, além de Água Preta, Palmares, Barra de Guabiraba e Barreiros.

No decreto que será publicado no DO de amanhã, o governo justifica a medida alegando “necessidade urgente de socorro às vítimas” e informa que a desapropriação ocorrerá de maneira amigável ou judicial, incorporando os bens ao patrimônio do estado de Pernambuco. Um dos critérios para escolha das áreas onde serão construídas as novas residências é estar totalmente fora das regiões alagadas, permitindo o direcionamento do crescimento das cidades para longe do alcance dos rios.

Em Barreiros, o levantamento do governo do estado estima em 56,93% o índice de residências danificadas ou completamente destruídas – foram 5 mil das 8.782 que existiam no município.
É o maior entre as cidades pernambucanas. Em Barra de Guabiraba, os números da tragédia são menores: 450 dos 2.725 domicílios sofreram avarias, o que corresponde a 16,52%.

E o número de municípios em estado de calamidade pública aumentou para 12. Catende, Primavera e Maraial passam a integrar a lista hoje, com a publicação dos decretos no DO. Em Maraial, mais de um quarto das residências foram afetadas pelas águas – 623 das 2.461.
(Diário de Pernambuco).