• Ceclin
jul 14, 2011 0 Comentário


Mais 11 fábricas para Pernambuco

JC Online

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PDT), revelou que deve fazer a autoconvocação dos 49 deputados – que estão em recesso parlamentar, de 1 a 30 de julho – para votar, em regime de urgência, um pacote de projetos do Poder Executivo estadual para atender a instalação de 11 empreendimentos empresariais no Estado.

Juntos, os 11 protocolos de intenção que serão assinados nesta quinta (14), às 15h, no auditório do Banco Central, na Rua da Aurora, correspondem – segundo o governo do Estado – a investimentos que totalizam mais de R$ 1 bilhão e devem gerar cerca de 1.600 empregos diretos.

Os empreendimentos estão previstos para São Lourenço da Mata, o Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca e Moreno, na Região Metropolitana do Recife, e Brejão e Bonito, no Agreste do Estado.

As secretarias de Desenvolvimento Econômico e Comunicação evitaram entrar em detalhes, mas informação não-oficial revela que há um grande projeto da Petrobras para a Região Metropolitana, exatamente o maior investimento, estimado em R$ 1 bilhão que seria no segmento de fibra sintética. Os protocolos serão assinados pelas empresas Notaro Alimentos, Grupo FairWay, Famastil Taurus, Prat-k, Grupo Bolongnesi, Grande Moinho Cearense, Brasil Carbonos, Indústria de Água e Bebidas do Nordeste (IBAN), Companhia Brasileira de Materiais de Construção, Eletrolux do Brasil e Sasazaki – Indústria e Comércio.

“O governo está anunciando diversos empreendimentos atraídos para Pernambuco. A Assembleia deve ser convocada para oferecer as condições necessárias para garantir a vinda desses projetos, caso o governador (Eduardo Campos) coloque o pacote em regime de urgência”, disse Uchoa.

O prefeito de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana – que receberá dois empreendimentos entre os 11 que serão anunciados –, Ettore Labanca (PSB), informou desconhecer detalhes dos empreendimentos para a cidade, uma vez que as tratativas para a vinda das empresas ocorreram com discrição.

No meio político, o maior dos investimentos (o da Petrobras) é tratado como uma possibilidade de ida também para São Lourenço. “O governo tratou com cuidado para evitar especulação. O Estado fará a doação dos terrenos em São Lourenço”, destacou o prefeito.

As empresas que, oficialmente, vão para São Lourenço são a Famastil, que produz ferramentas de construção e jardinagem, e a Prat-K – Utilidades Domésticas. A primeira receberá uma área de três hectares e investirá m R$ 18 milhões na instalação.

A segunda fabricará acessórios domésticos também em uma área doada de três hectares ares de área, vai investir R$ 14 milhões e tem igualmente iniciará as obras em setembro próximo e concluirá em março de 2012.