Ceclin
jul 25, 2008 1 Comentário


Lula quer financiar reconstrução de sede da UNE

O governo Lula poderá financiar a reconstrução da nova sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), no Rio de Janeiro. A proposta inicial é que os recursos venham de um fundo do Ministério da Justiça, de acordo com o Palácio do Planalto. Esse foi o principal tema da reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a presidente da UNE, Lúcia Stumpf, na última quarta-feira.

Conforme o Planalto, a liberação do dinheiro pode ser anunciada em agosto, quando a UNE realizará campanha sobre educação, saúde e cultura.

A sede da UNE foi queimada em 1964 pela ditadura militar. Nos anos 80, o prédio acabou demolido e o terreno se transformou em estacionamento. O ex-presidente da República Itamar Franco devolveu a escritura do terreno à UNE. Segundo a assessoria da UNE, o presidente se sensibilizou com a causa e pediu um tempo para analisar o projeto do arquiteto Oscar Niemeyer.

Após recuperar o terreno, em 1º de fevereiro de 2007, a UNE e a UBES vêm se mobilizando para viabilizar sua reconstrução. A campanha Meu Apoio é Concreto, lançada pela UNE e pela UBES, com o objetivo de angariar fundos para a reconstrução da sede, já recebeu o apoio de diversos políticos, personalidades de setores como cultura e educação e ex-lideranças estudantis. Neste ano, a Campanha ganhou um importante reforço: uma vinheta de 17 segundos, que incentiva a doação de recursos para reconstrução da sede, entre os dias 19 de junho e 3 de julho. No dia 10 de agosto de 2007, data em que a atual presidente da UNE, Lucia Stumpf, tomou posse, e, em meio às comemorações dos 70 anos da entidade, foi apresentado aos estudantes o projeto doado pelo arquiteto Oscar Niemeyer para a reconstrução da sede, na Praia do Flamengo, 132. Niemeyer idealizou um prédio com 13 andares, onde também haverá um teatro e um centro cultural, para abrigar as produções culturais estudantis, além de um espaço destinado ao museu de memória do movimento estudantil.

Com Assessoria da UNE e Agência Brasil.