Ceclin
jul 29, 2009 1 Comentário


Luciana Santos mantém prioridades da Sectma

Publicado em 29.07.2009

Nova secretária de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente diz que dará continuidade a projetos do antecessor, Aristides Monteiro, e destaca afinidade com ministro Sérgio Rezende

Jacques Waller

A nova secretária de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Luciana Santos, promete manter a política que vinha sendo desenvolvida pelo seu antecessor, Aristides Monteiro. Luciana afirmou que o governador Eduardo Campos a orientou a dedicar sua atenção ao fundo de inovação Inova-PE, às universidades, especialmente a UPE, e ao Parqtel, mesmas áreas que já eram prioridades de Monteiro. Luciana está confiante na gestão, apesar de assumir o cargo com mais da metade do mandato da atual gestão já cumprido.
“Minha militância sempre foi nas universidades. Além disso, tenho muita afinidade com Sérgio Rezende. Ainda não tenho o domínio de todas as políticas públicas para o setor de tecnologia, mas estou com expectativas muito positivas”, conta. O ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, foi secretário do Patrimônio, Ciência e Cultura de Olinda, durante um dos mandatos de Luciana Santos. “O grande desafio vai ser articular os atores envolvidos no setor”, destaca a secretária.
Essa capacidade de articulação e o bom relacionamento com Rezende fez com que empresários do polo local de TI recebessem com otimismo a mudança. Para o superintendente do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), Sérgio Cavalcante, a nova secretária pode iniciar novos projetos, tanto quanto concluir aqueles já em execução. “É um período curto, mas, com o orçamento que ela tem, é possível concluir e iniciar muita coisa”, diz.
“Conheço Luciana desde os tempos do colégio e sei que toda a família dela é envolvida com tecnologia. Por outro lado, o fato de ter sido prefeita de Olinda dá a ela um lado político muito forte. Tenho expectativas muito boas”, completa. “Ela me disse que conversou com o governador e já pediu, por exemplo, a ampliação dos projetos de inclusão digital”, revela.
O sócio fundador da In Forma, Ismar Kaufman, também se mostrou entusiasmado com a nova gestão e destacou que, apesar da posse na reta final do atual governo, é possível realizar muitos projetos.
“A pessoa que está nessa posição tem que buscar as prioridades. É um papel que exige bem mais da capacidade de articulação. E não tenho dúvidas de que Luciana tem essa capacidade. Em oito meses, dá para criar uns três editais para inovação”, brinca Kaufman, referindo-se ao tempo que resta até o início da corrida eleitoral.
BRASÍLIA

Aristides Monteiro, que deixa a Sectma para assumir um cargo de assessor especial de Eduardo Campos, diz que seu trabalho será de articulação em Brasília (DF). Segundo Monteiro, entre suas atribuições, está discutir e articular temas na pauta da política econômica do Estado, o que inclui o assunto tecnologia. “Lá vou poder somar esforços na liberação de R$ 6 milhões do Fust, que atualmente estão contingenciados, além de tentar descentralizar os recursos do BNDES”, conta.

Monteiro não sabe, no entanto, se poderá se unir à base pernambucana no Congresso, que desde o ano passado se dedica a destinar verbas parlamentares e federais para o setor de TI do Estado. “Como isso mexe com bases parlamentares, preciso conversar com o governador para saber se é possível”, diz.
(Jornal do Commercio).