Ceclin
jul 24, 2009 5 Comentários


Luciana Santos assume Secretaria de Ciência e Tecnologia

Publicado em 24.07.2009

Ex-prefeitos do Recife e Olinda serão anunciados hoje pelo governador e, como serão candidatos em 2010, ficam no 1º escalão só oito meses. Odacy, Ninho e Creusa Pereira também entram no governo Os ex-prefeitos do Recife, João Paulo (PT), e de Olinda, Luciana Santos (PCdoB), serão anunciados hoje como novos secretários do governo Eduardo Campos (PSB). A expectativa é a de que o governador faça o anúncio pela manhã, em entrevista coletiva no Palácio das Princesas.

Até ontem à noite, a indicação era a de que João Paulo, possível candidato ao Senado em 2010, assumirá a Secretaria especial de Articulação Regional – vaga desde abril de 2008 quando o antigo titular, Antônio João Dourado, saiu para disputar a Prefeitura de Lajedo – e que Luciana, pré-candidata a deputada federal, seja a nova secretária de Ciência e Tecnologia, no lugar de Aristides Monteiro.
Três ex-prefeitos do PSB também entrarão nesta leva de mudanças: Odacy Amorim (Petrolina), Ninho (Igarassu) e Creuza Pereira (Salgueiro).
Como todos os novos indicados deverão ser candidatos em 2010, terão de deixar o governo no final de março – ou seja, ficam apenas oito meses no cargo –, junto com oito dos atuais secretários que também vão disputar as eleições.
A entrada de João Paulo no governo Eduardo é extremamente estratégica. Na condição de candidato ao Senado, o ex-prefeito precisa percorrer o Estado, ganhar visibilidade – sobretudo no Interior – e contribuir eleitoralmente para a tentativa de reeleição de Eduardo Campos em 2010. O petista é eleitoralmente forte no Recife e Região Metropolitana.

Ao mesmo tempo, acomodar João Paulo (que estava sem cargo há sete meses e, no dia 30, abriu a empresa de consultoria JPLS) dá mais uma sinalização ao PT (que vive eternamente em divergências internas) de que o ex-prefeito é o petista que ele espera contar em sua chapa no próximo ano.

Semana passada, João Paulo voltou a se estranhar com o secretário das Cidades, Humberto Costa, que deverá sair candidato a deputado federal. O mote, desta vez, foi o Processo de Eleição Direta (PED) do PT.
A secretaria especial que João Paulo deverá assumir estava vaga há um ano e três meses. E, agora, teria passado a ser tão necessária que foi turbinada com programas de visibilidade, como o Prometropole. No último dia 16, a colunista política do JC, Ana Lúcia Andrade, antecipou que João Paulo poderia se incorporar à equipe de Eduardo. “Era a notícia que corria Brasília ontem. O petista já teria até consultado um nome de peso do governo Lula sobre a conveniência de isso ocorrer”, escreveu.
Severino Ninho deve assumir a Assessoria Especial, vaga desde a saída do advogado Izael Nóbrega para disputar uma vaga no TJPE. Já Odacy Amorim deve ocupar uma diretoria do projeto que toca a Transposição do São Francisco. E Creusa Pereira será indicada, enfim, para assessorar a primeira-dama, Renata Campos, no programa Mãe-Coruja.
As mudanças vinham sendo especuladas desde dezembro do ano passado, quando prefeitos aliados deixavam seus mandatos e três secretarias especiais estavam disponíveis. Eduardo Campos sempre negou que faria mudanças, alegando que “em time que está ganhando não se mexe”. Ontem, o Palácio e os políticos envolvidos silenciaram. Mas a notícia vazou. E ninguém procurou desmentir. Até o fechamento desta edição, às 23h, os principais nomes foram procurados.
Ontem à tarde, Eduardo recebeu no Palácio Luciana Santos e as principais lideranças do PCdoB no Estado, o prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, o vereador Luciano Siqueira e o presidente estadual do partido, Alanir Cardoso. João Paulo também esteve no Palácio para uma reunião a portas fechadas. E, por fim, o secretário de Ciência e Tecnologia, Aristides Monteiro, foi acionado para receber a notícia do seu afastamento. Debaixo de críticas sobre sua atuação na pasta, ele já teria entregue o cargo recentemente.
O governador não teve agenda pública ontem.
(Jornal do Commercio).