• Ceclin
mai 14, 2019 0 Comentário


João Paulo propõe retorno de ensino obrigatório de espanhol em escolas públicas

ENSINO – Deputado lembrou que oferta da disciplina tornou-se optativa no ano passado, após o Governo Federal dispensá-la da Base Nacional Curricular. Foto: Roberto Soares

ENSINO – Deputado lembrou que oferta da disciplina tornou-se optativa no ano passado, após o Governo Federal dispensá-la da Base Nacional Curricular. Foto: Roberto Soares/Alepe

Em discurso na Reunião Plenária desta terça (14/5), o deputado João Paulo (PCdoB) informou ter apresentado projeto de lei para restabelecer a obrigatoriedade do ensino da língua espanhola nas escolas da rede estadual. A oferta da disciplina pelas instituições públicas de Pernambuco tornou-se optativa no ano passado, após o Governo Federal dispensá-la da Base Nacional Comum Curricular.

“Além de privar os alunos do aprendizado de um segundo idioma, a medida acabou com o emprego de centenas, senão milhares de professores de espanhol no Brasil”, afirmou o parlamentar, que contou ter sido procurado por profissionais da categoria na semana passada.

Para João Paulo, é importante valorizar o aprendizado do espanhol, uma vez que esta é a língua oficial de todos os países vizinhos ao Brasil. “Observamos o presidente Jair Bolsonaro tentando restringir nossas relações externas basicamente aos Estados Unidos, dando as costas ao Mercosul. É necessário pensarmos no futuro das relações internacionais e garantir uma bagagem cultural mais ampla aos jovens da escola pública”, defendeu.

O pronunciamento recebeu os apartes dos deputados Teresa Leitão (PT), Antonio Fernando (PSC) e Professor Paulo Dutra (PSB), todos defendendo a obrigatoriedade do espanhol. “Fiz uma indicação ao Governo do Estado pedindo urgência no tratamento da questão”, afirmou a petista, que falou sobre o tema ontem. “É inadmissível abolir o espanhol do conhecimento do estudante brasileiro”, somou-se Fernando. Dutra, por sua vez, explicou que, apesar das mudanças, as escolas estaduais continuam a disponibilizar o idioma aos alunos.