• Ceclin
jun 06, 2019 0 Comentário


João Paulo critica políticas federais e elogia ações estaduais na área de meio ambiente

COMPARAÇÃO – “Se por um lado é desastrosa a condução do Governo Bolsonaro, em Pernambuco foram criadas duas unidades de conservação, que vão proteger cerca de 22 mil hectares de caatinga.” Foto: Jarbas Araújo/Alepe

COMPARAÇÃO – “Se por um lado é desastrosa a condução do Governo Bolsonaro, em Pernambuco foram criadas duas unidades de conservação, que vão proteger cerca de 22 mil hectares de caatinga”. Foto: Jarbas Araújo/Alepe

O deputado João Paulo (PCdoB) destacou, em discurso na Reunião Plenária desta quinta-feira (06/6), a passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente. No pronunciamento, o parlamentar comparou as políticas de preservação desenvolvidas pelo Governo Federal, a quem fez críticas, com aquelas que vêm sendo promovidas pelo Poder Executivo pernambucano, que mereceu elogios dele.

“Ontem foi Dia do Meio Ambiente, mas não há nada a comemorar no Brasil. Agências internacionais estimam que 68% das áreas de proteção ambiental e territórios indígenas na Amazônia estão sob ameaça por causa de projetos de infraestrutura e de atividades de exploração que vêm sendo autorizados”, afirmou. “O desgoverno de Jair Bolsonaro enfraqueceu o Ministério do Meio Ambiente, afrouxou controles sobre exploração econômica da Amazônia e interrompeu a demarcação indígena”, criticou.

João Paulo condenou, ainda, o Projeto de Lei Federal n° 2362/2019, apresentado pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que visa acabar com a reserva legal em propriedades rurais. “Estudos indicam que, caso a proposta seja aprovada, será autorizado o desmatamento de 167 mil de hectares, uma área maior que o Estado do Amazonas”, relatou.

Em contrapartida, o deputado elogiou a condução da pasta estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade pelo seu correligionário, o secretário José Bertotti. “Em Pernambuco foram criadas duas unidades de conservação, que vão proteger cerca de 22 mil hectares de caatinga”, informou. Segundo o comunista, as unidades são as de Serras Caatingueiras (entre Salgueiro e Cabrobó) e Serra do Giz (no limite entre Afogados da Ingazeira e Carnaíba).