Ceclin
jan 07, 2021 0 Comentário


Janeiro Branco orienta sobre os cuidados com a saúde mental

Brasil é o país com maior prevalência de ansiedade no Mundo, de acordo com a OMS

Muitas vezes somos consumidos por estresse, tristeza, dificuldade nas relações e desânimo. Todos esses sintomas podem afetar a saúde mental. O cérebro pede ajuda e é muito importante o apoio de um amigo, um familiar ou um profissional de saúde. Pensando nisso, com o intuito de incentivar as pessoas sobre a importância de cuidar da mente, o mês de janeiro é dedicado à campanha “Janeiro Branco”, como uma maneira de reforçar o tratamento nos aspectos emocionais e mentais da vida.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a população brasileira tem sido cada vez mais acometida por problemas de saúde mental, sendo o segundo país com o maior número de depressivos, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Os dados mostram ainda que o Brasil também é o país com maior prevalência de ansiedade no mundo.

O médico psiquiatra Dannilo Isidoro, do Instituto Brasileiro de Psiquiatria (IBP), afirma que ainda há um tabu quando se fala em cuidados com a saúde mental. “As pessoas ainda têm dificuldade ou medo de falar sobre emoções e sentimentos, com receio de serem julgadas ou criticadas, e aí onde mora o perigo. É preciso acabar com os estigmas acerca da saúde mental, e trabalhar na prevenção para que problemas mais graves como ansiedade e depressão não surjam”, alertou.

De acordo com o médico, para proteger a mente e ter uma qualidade de vida, é preciso estar atento. “Dicas simples podem ser aplicadas no dia a dia, como a prática de atividades físicas, uma alimentação saudável, sono regular e realização de atividades que dão prazer e relaxamento. Além disso, devemos esclarecer mais a importância do acolhimento, da empatia, da solidariedade, e evitar o julgamento excessivo”.

“Cada caso deve ter o projeto terapêutico individualizado, com foco em orientar quais as adaptações saudáveis no estilo de vida, avaliar a necessidade do uso de medicações e trazer opções de práticas integrativas como meditação, yoga, acupuntura, entre outras disponíveis para o benefício da saúde”, finalizou.