• Ceclin
fev 28, 2019 0 Comentário


Isaltino Nascimento enaltece os 202 anos da Revolução de 1817

HISTÓRIA – Feriado em celebração à Data Magna, em 6 de março, também foi ressaltado pelo parlamentar. Foto: Jarbas Araújo

HISTÓRIA – Feriado em celebração à Data Magna, em 6 de março, também foi ressaltado pelo parlamentar. Foto: Jarbas Araújo/Alepe

O deputado Isaltino Nascimento (PSB) exaltou, na Reunião Plenária desta quinta (28), os 202 anos da Revolução Pernambucana de 1817. Conforme lembrou, o movimento enfrentou a Coroa portuguesa, alcançou a Independência e estabeleceu uma República que durou 74 dias. O parlamentar também destacou como “referência da altivez, força e luta do povo pernambucano”, o feriado em celebração à Data Magna, em 6 de março, dia que marcou o início da insurreição.

Leia a reportagem especial “Um feito bicentenário”

No pronunciamento, Isaltino citou pontos do projeto político da Revolução Pernambucana, como a possibilidade de mulheres votarem e a emancipação de escravos. Ele ressaltou, ainda, que a repressão pela Coroa portuguesa resultou em mais de três mil mortos e perda de áreas importantes da Província de Pernambuco para a Bahia, que apoiou a Coroa, e para Alagoas, que ainda não existia.

O socialista é autor, junto com a ex-deputada Terezinha Nunes, da lei que institui o dia 6 de março como Data Magna e feriado civil. Conforme salientou, o hino de Pernambuco e a bandeira do Estado também são legados simbólicos da Revolução de 1817.

“Fizemos um processo de mobilização aqui na Casa para consagrar a Data Magna. Foi feita uma consulta popular, e o povo pernambucano escolheu majoritariamente 1817 como referência importante daqueles bravos homens e mulheres que cerraram fileiras contra a Coroa e pagaram um preço muito alto”, prosseguiu.

Isaltino Nascimento finalizou o discurso lembrando que a Revolução de 1817 contribuiu para a Independência do Brasil, cinco anos depois. “Essa data mexeu com toda a estrutura da Coroa portuguesa”, pontuou.