• Ceclin
abr 06, 2019 0 Comentário


Irmão do prefeito de Vitória e mais cinco vereadores se ausentam de sessão legislativa

Dos 19 vereadores com assentos na Casa Diogo de Braga, apenas 13 se fizeram presentes durante a votação na oitava sessão ordinária da sexta (05/4). Fotos: A Voz da Vitória

CADÊ ROMERO? - Dos 19 vereadores com assentos na Casa Diogo de Braga, apenas 13 se fizeram presentes durante a votação na oitava sessão ordinária da sexta (05/4). Fotos: A Voz da Vitória

Um fato curioso é que dos 19 parlamentares, 06 deles nunca utilizaram a Tribuna da Câmara neste período

Por Lissandro Nascimento

A dispersão nos trabalhos legislativos vem tomando conta na Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana. Ausências contestáveis, desídia, inoperância e dispersão política vêm sendo as marcas por parte de alguns parlamentares que só se reúnem apenas uma vez por semana.

Dos 19 vereadores com assentos na Casa Diogo de Braga, apenas 13 se fizeram presentes durante a votação na oitava sessão ordinária da sexta-feira (05/4). O primeiro que deveria dar exemplo de responsabilidade e zelo com a coisa pública o presidente da Câmara, Romero Queralvares (PSB), irmão do prefeito de Vitória, decepciona. Ele carimba no atual período legislativo como um dos mais inoperantes e faz uma gestão sem qualquer transparência pública. Desde o início dos trabalhos legislativos na Câmara de Vitória em 2019, Romero não comanda as sessões e faltou seis reuniões ordinárias das oito realizadas até agora. Doravante, é importante registrar que o A Voz da Vitória denunciou aos seus leitores que pelo menos três Atas foram aprovadas com as presenças de Romero, pelo qual em nenhum momento “seu corpo” foi visto no Plenário da Casa nessas ocasiões.

Nesta sessão do dia 05 de abril também faltou o vereador Duda de Pacas (PSDC), Silvia Moura (PSB) e Edmilson de Várzea Grande (MDB). Zequinha Moto Táxi (sem partido) chegou atrasado às 10h40.

Iniciada pouco depois das 10 horas da manhã, dois vereadores “deram no pé”: Baixa Emiliano (PTC) se retirou às 10h25, enquanto Jota Domingos (PTC) chegou às 10h28 e deu no pé às 10h35.

vereador Danda da FeijoadaQuem vem repetidamente dando exemplos de dispersão é o vereador Danda da Feijoada (PPS) que chegou atrasado às 10h20 e se manteve até às 10h38. Danda voltou à sessão às 10h55 e se ausentou do Plenário mais uma vez às 11h15. Retornou a tempo de participar da votação às 11h57. A sessão encerrou às 12h10, sendo outra convocada pelo Vice Celso Bezerra (PSDB) para o dia 12 de abril.

Um fato curioso é que dos 19 parlamentares, 06 deles nunca utilizaram a Tribuna da Câmara neste período para fazer suas intervenções e provocar fatos que ajudem a detectar saídas para os graves problemas da municipalidade. A própria denominação “Parlamentar” tem origem grega, que denota falar, discursar, provocar. Um edil que não “parla” perde o sentido de sua função no Poder Legislativo.

AUTISMO – Foram aprovados Votos de Aplauso as instituições envolvidas na organização da Caminhada Municipal que lembrou o Dia do Autismo, no último 02 de abril. A proposição foi do Secretário da Casa, Novo da Banca (sem partido).

VOTO DE PESAR – O Líder da Oposição André de Bau (PSD) propôs Voto de Pesar pelos falecimentos de três cidadãos populares em Vitória. Falecido no ultimo dia 1º, o comunicador e carnavalesco Guilherme Pajé foi lembrado pela Casa, além de Eronildo Bernardes dos Santos morto no dia 03 durante acidente de moto, bem como Bruno Santos, conhecido como Bruno Esbanja, assassinado no Litoral Sul do Estado.

CORTE – André de Bau denunciou na Tribuna da Câmara a atitude unilateral da Prefeitura de Vitória que cortou o repasse da contribuição sindical nos contracheques dos servidores para os sindicatos Sindvisa e SindProv. “A Prefeitura é do PSB. Estranho! Como pode um governo socialista ligado a Paulo Câmara, Eduardo Campos e Miguel Arraes ir contra a organização popular e sindical? Aglailson Júnior ainda é do PSB?”, questionou André.

EDUCAÇÃO – O vereador Toninho Gabriel (PRB) apresentou Requerimento nº 394/19 para que a Câmara convocasse o Secretário Municipal de Educação Jarbas Dourado, a fim deste prestar esclarecimentos sobre a não participação de escolas nas provas do IDEB, bem como as obras de reformas em algumas unidades escolares em pleno período de aulas. Por 08 votos contrários e 04 a favor, a Casa não aprovou a convocação.

MANOBRA – Membro da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, Novo da Banca havia adiantado que marcou uma audiência com Jarbas Dourado na quarta-feira (10/4), para que alguns vereadores pudessem tirar as dúvidas com o Secretário. Por essa razão, a convocação de Jarbas foi preterida. Ingênuos neste ponto, os vereadores da bancada de oposição faltou se combinarem, passando a impressão de que entre eles não há intervenções coletivas. A bancada precisa ser mais profissional para enfrentar a “dinastia dos Queralvares”. Será mesmo que quer enfrentar?!

LEIA TAMBÉM:

- Confira como foi a sessão da sexta-feira (29) na Câmara de Vitória

- Câmara de Vitória agora conta com vereador ‘Gasparzinho’

- Sob a presidência de Celso Bezerra, Câmara de Vitória estimula nova regra

- Com o vácuo, vereadores já tratam Celso Bezerra como presidente da Câmara de Vitória

- Insegurança no comando da Casa Diogo de Braga???

- Irmão do prefeito vai administrar R$ 900 mil por mês na Câmara de Vereadores da Vitória -

Sem comando do presidente, Câmara de Vitória aprova 11 Projetos de Lei