• Ceclin
set 04, 2015 0 Comentário


Instituto Histórico da Vitória conquista convênio de intercâmbio internacional

Pedro Férrer (ao centro) comemora iniciativa que torna Vitória a 1ª cidade do interior do Estado a firmar esse tipo de Convênio. Foto: Arquivo A Voz da Vitória

Pedro Férrer (ao centro da foto) comemora iniciativa que torna Vitória a 1ª cidade do interior do Estado a firmar esse tipo de Convênio. Foto: Arquivo A Voz da Vitória

O Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão (IHGV) divulgou que se encontra em fase avançada de implementação um projeto que busca firmar Convênio de Irmanação entre as cidades de Ribeira Grande, do arquipélago do Cabo Verde – em Portugal, e Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana.

Esta ação, idealizada e desenvolvida pelo Instituto, trata-se de uma iniciativa de grande relevância, na medida em que Vitória tornar-se-á a primeira cidade do interior do Estado a firmar esse tipo de Convênio. O processo de intercâmbio internacional se deu por ocasião da vinda do médico e escritor Cabo Verdiano, Samuel Gonçalves e sua esposa, também médica, Dra. Antonina Gonçalves, ao Brasil. O casal atendendo convite do Instituto Histórico de Vitória realizou uma série de atividades em prol da promoção da Igualdade Racial, os quais ficaram impressionados com a descoberta das relações históricas que envolvia a Terra das Tabocas.

“Talvez por força do destino, ou até mesmo por um golpe de sorte, Dra. Antonina é oriunda da Ilha de Santo Antão, a mesma ilha de onde veio nosso fundador Diogo de Braga. Devido a essa feliz coincidência, ao retornar para seu país, o nobre casal tratou de estabelecer contatos com a Ilha de Santo Antão”, relatou ao Blog A Voz da Vitória, o Prof. Pedro Humberto Férrer, presidente do Instituto. Logo após, os contatos progrediram e as autoridades da Ribeira Grande demonstraram grande interesse em concretizar o convênio internacional com Vitória de Santo Antão.

O Presidente da Câmara de Ribeira Grande, Eng. Orlando Rocha Delgado, endereçou oficialmente sua intenção em formalizar o intercâmbio ao Prefeito de Vitória, Elias Lira (PSD). “Queremos manifestar a nossa abertura e disponibilidade de diálogo para um conhecimento mais aprofundado da realidade socioeconômico e cultural recíproco e propiciar os canais de cooperação nos domínios econômicos, empresariais, institucionais, políticos e culturais, dos sectores públicos e privados, com o Poder Público local”, externou a correspondência.

Delgado, ao tomar conhecimento de que um natural de sua Ilha e emigrante no Brasil teria participado ativamente nos primórdios da fundação da Vitória de Santo Antão, através de Diogo de Braga, defendeu que estes traços fazem parte de um universo ainda maior. “Enformam uma história comum, associada à expansão marítima e colonial Portuguesa, de que Cabo Verde e o Brasil fazem. Ambos se completam e se interligam com a história local, no contexto das migrações, tornando marcantes a vida de um povo, quando os laços de fraternidade e ligações entre povos podem ser potencializados”, descreveu entusiasmado Orlando Delgado.

Conteúdo introdutório da carta oficial endereçada ao Poder Executivo vitoriense. Imagem: AVV

Conteúdo introdutório da carta oficial endereçada ao Poder Executivo vitoriense. Imagem: AVV

HISTÓRIA: O Município da Ribeira Grande faz parte da Ilha de Santo Antão, descoberta em 17 de Janeiro de 1462, dia que na tradição religiosa cristã (católica) é dedicado à Santo Antão (hoje, também comemorado como Dia do Município da Ribeira Grande), pelo navegador Português, Escudeiro do Infante D. Fernando, Diogo Afonso, enquadrada nas viagens de expansão marítima do século XV, dois anos após o descobrimento das ilhas orientais do arquipélago (Fogo e Santiago). A Frota de Pedro Alves Cabral, na sua viagem ao Brasil, em 1500, passou por estas terras e deu vista à Costa do Arquipélago. O mesmo fez o Pe. Antônio Vieira, na sua viagem ao Brasil, tendo passando pela Ilha de Santiago (Capital de Cabo Verde).