• Ceclin
dez 31, 2009 0 Comentário


Índices de mortalidade materna preocupam Nelson Pereira

O compromisso do governo brasileiro em reduzir os índices da mortalidade materna no país foi motivo de pronunciamento do deputado estadual Nelson Pereira de Carvalho (PCdoB).

De acordo com dados apresentados pelo comunista, a taxa de óbitos entre gestantes e parturientes até 42 dias após a gestação no Brasil é de 55,1 para cada 100 mil nascidos vivos, quando a média recomendada pela OMS é de 20. Os planos são de, até o final de 2010, reduzir estes números em 10%.

Segundo o parlamentar, as maiores vítimas da mortalidade materna são as mulheres negras, na faixa etária de 20 a 39 anos e com baixa escolaridade. “Especialmente, as da região Nordeste, onde este índice alcança a marca de 63,6 mortes para cada 100 mil nascidos vivos”, completou o parlamentar.


Nelson Pereira destacou que o Brasil pretende diminuir, ainda este ano, em 5% a média nacional da mortalidade materna e outros 5% até o final de 2010. Para isso, o Ministério da Saúde pretende capacitar mais de quatro mil agentes dos Comitês Contra a Mortalidade Materna.

“Estudando os dados apresentados pela UNICEF e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) percebi que buscar experiências exitosas e difundir a informação são peças chaves nesta jornada”, disse.


O deputado ressaltou o bem sucedido projeto Mãe Coruja, copiado da cidade de Curitiba e adotado pelo Governo de Pernambuco, que garante pelo menos seis consultas do pré-natal e uma pós-parto para cada gestante atendida pelo programa. Além da alfabetização durante a gravidez, capacitação profissional e inclusão da família no fornecimento gratuito do leite.


O comunista destacou também o papel dos movimentos sociais numa iniciativa como esta. “O movimento de mulheres tem de ser reconhecido neste momento, pois tem sido de grande valia. As ações educativas de conhecimento e compreensão do próprio corpo têm contribuído fortemente para que as mulheres tenham acesso às ações da rede pública de saúde e, com isso, tenham uma gestação e um parto mais tranquilo e humanizado”, afirmou Pereira de Carvalho. Para finalizar: “está é uma luta conjunta e toda ajuda é muito bem vinda”.

Fonte: site do Deputado Nelson Pereira