Ceclin
jul 19, 2016 0 Comentário


Idosa de São Paulo procura parentes e afirma ter trabalhado para família tradicional de Vitória

Maria José dos Santos, de 66 anos

Maria José dos Santos, de 66 anos (foto acima), filha de Severino José dos Santos e Severina Josefa da Silva, está à procura de familiares que segundo ela moram em Vitória de Santo Antão, Zona da Mata Sul do Estado de Pernambuco. A história é desalentadora, quase não se tem informações para reencontrar seus parentes.

“Eu morava em Vitória de Santo Antão, depois me mudei para o Grande Recife, no bairro da Madalena, isso em 1960 para me casar. Os  meus irmãos, Josuel, José, Moisés, João, Maria Inês, Maria Irene e Maria de Lourdes, todos com sobrenome Santos, ficaram em  Vitória”, relata Maria José em apelo ao Blog A Voz da Vitória.  Ela lembra que aos 07 anos de idade, a sua progenitora veio a óbito e ficou sob os cuidados do seu pai, conhecido popularmente como “Severino Pirrita”. Ele desempregado, nas horas vagas lia as mãos das pessoas, mas um dia nunca mais voltou para casa, acrescentou.

“Depois de tudo que aconteceu, fui morar na casa dos meus tios, não por muito tempo já que não deu certo, aí apareceu o Nô Joaquim, que na época era prefeito de Vitória e me adotou”, afirma Maria José. Em todo este relato de uma parte de sua vida, o filho de Maria José complementa que descobriu em pesquisas que “Nô Joaquim” seria o pai de Maria do Socorro, na época esposa de Dr. Ivo Queiroz (finado Médico Pediatra e ex-prefeito de Vitória por três vezes). Maria José relata ainda que foi encaminhada para a casa dos Queiroz sendo Babá para cuidar de uma criança que se chamava Isla (filha de Dr. Ivo e Socorro).

Fotos antigas de parentes, as quais restaram nas mãos de Maria José, hoje em São Paulo.

Fotos antigas de parentes, as quais restaram nas mãos de Maria José, hoje em São Paulo.

“Quando completei 15 anos, conheci meu esposo Cláudio Basílio Lopes. Então, sem pensar duas vezes, me desliguei da família de Dr. Ivo Queiroz. Tive uma infância difícil, pois desde criança fui empregada doméstica. Não havia nenhum estímulo da minha parte por continuar vivendo sem perspectivas. O meu marido morava na Iputinga, bairro do Recife, quando nos casamos na Igreja dos Remédios, onde ele foi batizado”, finaliza.

IvoFAMÍLIA QUEIROZ

Cláudio Júnior, filho da senhora que procura seus parentes em Vitória, adiantou ao Blog A Voz da Vitória que conseguiu contactar a senhora Maria do Socorro, viúva de Dr . Ivo Queiroz, diretora da Maternidade Apami, bem como a Dra. Isla Queiroz, filha do casal e hoje pediatra. Em conversa com ambas, Cláudio relata que foi muito bem atendido por telefone e conseguiu outras informações. “Enviei foto recente da minha mãe a Dra. Isla Queiroz, mas não se recorda, porém ela considera que o rosto da minha mãe não lhe é estranho. Contudo, não tem muito o que falar, pois na época era criança”, contou ele.

Já em conversa com Dona Socorro, ela confirmou que de fato à época teve uma menina que morou com sua família. “A menina tinha as pernas finas. Passou um tempo conosco e sumiu, mas devido o passar do tempo tenho vaga lembrança”, afirmou a viúva de Dr. Ivo por telefone em conversa com Cláudio. Dona Socorro não dispõe de fotos daquela época, mas vai tentar resgatar detalhes do caso com a cozinheira que trabalhava, naquele período, para sua família. Para Socorro Queiroz, provavelmente Maria José dos Santos morava na região da cidade de Limoeiro, no Agreste. Socorro visitava o Engenho Bom Nome, pertencente ao senhor Henrique de Limoeiro, onde segundo a viúva, o finado Nô Joaquim andava muito naquele tempo.

Você leitor, pode ajudar a encontrar os parentes desta pessoa?

Então, se tiver mais informações entre em contato com o filho dela, Cláudio Jr. Telefone: (11) 98091.3975.