• Ceclin
mai 28, 2018 0 Comentário


Hora do Enem, da TV Escola, dá dicas semanais de redação

Apresentador Land Oliveira comanda "Hora do Enem", programa diário na TV Escola. Fotos: Divulgação

Apresentador Land Oliveira comanda “Hora do Enem”, programa diário na TV Escola. Fotos: Divulgação

Programa trata de todas as áreas do conhecimento exigidas no exame e das componentes curriculares de cada uma delas

Qualquer que seja a graduação escolhida, o estudante que estiver tentando uma vaga na universidade precisa dominar a escrita. Não importa se é de Exatas, Saúde ou Humanas – a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é responsável por metade da nota geral e faz a diferença na classificação final. Todos os candidatos devem redigir um texto em prosa, do tipo dissertativo-argumentativo, sobre um tema de ordem social, científica, cultural ou política. A ideia é defender uma tese, com argumentos consistentes, e fazer uma proposta de intervenção social para o problema.

Por ser tão importante na nota e ter critérios específicos de avaliação, muita gente acaba encarando a produção de texto como dor de cabeça. Para desmistificar essa ideia, o programa Hora do Enem, da TV Escola, traz dicas sobre essa área do conhecimento toda sexta-feira, às 7h, com reapresentações às 13h e às 18h, com a presença de professores parceiros. Nos outros dias da semana, o apresentador Land Vieira recebe mestres de outras disciplinas.

Um dos especialistas em redação que participa do Hora do Enemé o professor Raphael Torres. Ele acredita que o estudante pode até ter o dom da escrita, ser habilidoso com o papel e a caneta, mas defende que não se pode ser refém desse suposto talento. “Redação é aprendida com técnica. É um instrumento, pode ser treinada, pode ser aperfeiçoada”, garante. E uma das melhores formas de melhorar a escrita é aprender com o retorno dado por quem corrige os textos do aluno ao longo do ano. “Esses feedbacks não são valorizados pelo candidato. De que adianta fazer a redação, olhar a nota, ver os comentários do professor e ficar chateado, se não voltou para ver onde errou e não aperfeiçoou? Essas pessoas não transformam correção em oportunidade”, pontua.

Os professores no Hora do Enem também discutem os temas de redação propostos nos anos anteriores, não com o objetivo de prever o que virá, mas de preparar o aluno para discorrer sobre os mais diversos assuntos de relevância nacional. “Uma boa forma de estudar é analisar assuntos em vez de temas específicos. Ano passado o tema foi a formação dos surdos e muita gente se assustou. Mas muitos haviam treinado redações sobre pessoas com deficiência, por exemplo. É o mesmo tema? Não. Mas será que não posso adaptar?”, reflete.

Professor Raphael participa do programa Hora do Enem dando dicas de redação

Professor Raphael participa do programa Hora do Enem dando dicas de redação

Vale lembrar que existem alguns motivos que podem levar o estudante a zerar a redação. São eles: fuga ao tema, texto insuficiente, cópia integral do texto motivador do enunciado, apresentar parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto, ter a assinatura do aluno ou qualquer elemento que o identifique, ou escrever o texto integralmente em outro idioma. Neste ano, violar os Direitos Humanos não vai mais resultar em nota zero na redação, após um veto do Supremo Tribunal Federal, em novembro de 2017. No entanto, o participante que ferir Direitos Humanos pode perder até 200 pontos de sua nota.

Raphael alega ainda que redação é muito mais do que o texto que os estudantes precisam fazer – aquele com 30 linhas, quatro parágrafos, proposta de intervenção e rascunho. A maneira como as questões fechadas se desenvolvem também se relaciona com a produção. Até mesmo ler e interpretar as alternativas envolve o conhecimento linguístico do candidato. E tudo isso se reflete, sim, na escrita. “Redação começa na maneira com que o aluno absorve informações dos textos que recebe. Ela dá a oportunidade para o candidato se diferenciar dos outros, muito mais do que pelas questões. É uma chance de fazer uma construção plural que as outras questões da prova não dão porque são fechadas. Na redação você transita pelo autoral”, continua, destacando a importância de olhar para ela como uma chance, não uma dor de cabeça.

O PROGRAMA
O Hora do Enem, da TV Escola, trata das áreas do conhecimento exigidas no Enem e das componentes curriculares de cada uma delas. A ideia é levar conteúdo de qualidade e fontes seguras de pesquisa de um jeito descontraído e eficaz para os alunos, tudo de graça.

Cada área do conhecimento é trabalhada em um dia diferente da semana. Toda segunda-feira, por exemplo, é dia de Matemática. Terça é o dia das Ciências Humanas. Linguagens e Códigos fica para a quarta. Na quinta-feira, o assunto é Ciências da Natureza e na sexta-feira é a vez de Redação. Aos finais de semana, os programas da semana são reexibidos.

Para complementar o conteúdo apresentado no Hora do Enem, a TV Escola também prepara os “Percursos Educativos” em sua plataforma online. São ferramentas de aprofundamento que estarão abertas a qualquer pessoa em um hotsite (http://hotsite.tvescola.org.br/percursos/).

Esta já é a terceira temporada do Hora do Enem, que começou em 2016. O programa segue até novembro e também pode ser assistido online, através do site ou do canal da TV Escola no Youtube.