• Ceclin
set 20, 2008 6 Comentários


Guia fala da ação da PF, da Feira Livre e tem áudios pitorescos

O Guia Eleitoral em cadeia de rádios desta sexta-feira (19) em Vitória de Sto. Antão começou com o candidato a prefeito da coligação Vitória de Cara Nova, Cristiano Pilako (PTB), que sistematicamente tem feito depoimentos consistentes e tem paulatinamente deixado os seus adversários em ‘saia justa’. “É dessa forma que fazemos política. É realizando bate-papos com as comunidades, discutindo e ouvindo o povo”, falou Pilako em uma de seus áudios gravados nas conversas com o eleitor nas ruas.
Questionando o guia do candidato a prefeito democrata Elias Lira que divulgou uma lista dos Secretários da atual administração que não residem em Vitória e alguns deles são parentes do ex-prefeito, Pilako fez lembrar: “Será que Vitória não tem gente capacitada para assumir as Secretarias? Agora é engraçado quando Elias questiona o secretariado atual. Mas devo lembrar que quando ele indicou os principais cargos do Governo Jarbas Vasconcelos na região ele colocou parentes e pessoas de outras cidades”, alfinetou. Instigando depois: “Pessoal, na hora de administrar a cidade eles são iguais. Elias não faz nada diferente do que Aglailson faz”, sentenciou finalizando.
Para provar que Elias e Aglaílson governam voltados aos seus interesses particulares, ele mais uma vez lembrou o caso das obras da BR 232 e a instalação da fábrica da Sadia no Município: “Elias valorizou as suas terras quando o seu amigo Jarbas e Maciel permitiu que a rodovia passasse por elas. Já os filhos de Aglaílson foram beneficiados na compra das terras onde está sendo instalado a multinacional Sadia”, criticou.


Até que enfim!

O novo Guia Eleitoral de rádio do candidato a prefeito pelo PDT, Gilvan Contador, foi divulgado na sexta-feira. Sem a participação direta do candidato, quem fez as honras como locutor foi o candidato a vereador de sua coligação, Ednaldo Ribeiro, que argumentou a necessidade de uma renovação política e gerencial em Vitória. “Os políticos maltratam o cidadão vitoriense. A cidade está pequena politicamente, pois a discussão se resume a músicas. Foram inúmeras as chances que o amarelo e vermelho tiveram quando governam esta cidade. Cadê? Isso é evolução?”, indagou o locutor e candidato.

Falando do Programa de Governo de Elias Lira e Demétrius ele foi inteligentemente irônico: “Elias Lira que ser Engenheiro. Parece que Vitória no governo dele em quatro anos vai se tornar uma Paris. Já o outro candidato a prefeito, o Dedé, quer ser o líder espiritualista o ‘Gandhi’. O programa de governo da atual administração é uma obra intencional”, falou e disse adiante: “Gilvan Contador se coloca como opção, pessoa nova que deve ser levada para a Prefeitura Municipal. Vamos apostar na renovação, que pode dar certo!”, incentivou.

O Guia do candidato a prefeito da coligação Vitória bem administrada, democrata Elias Lira, começou a abordar como tema inicial o resultado divulgado em site oficial do Governo Federal com relação aos cortes do Bolsa Família em Vitória. Segundo o locutor do guia Vitória teve quase 700 cartões do Bolsa Família cancelados. “A razão é que a Prefeitura Municipal da Vitória não levou o Relatório Geral de Prestação do Bolsa Família ao Governo Federal”, alegou.
Mencionou que são 1000 famílias que tiverem este benefício cortado. “Por irresponsabilidade deste atual governo”, acusou.

Eles atestaram que a população demonstrou o maior ato de espontaneidade já visto na recente história política da cidade, quando foi realizado o “Buzinaço” na quinta-feira no final da tarde, nos quatro cantos da cidade seguido também por “apitaço”. Convocou a população para a atividade da campanha chamada de “Mega Caminhada”, neste sábado pela manhã, bem como a “Bicicleata” com saída no domingo do bairro do Lídia Queiroz.

Sem a participação dos candidatos a majoritária, o locutor Aderval Barros explicou no guia que Vitória, segundo o INEP, está na lista das cidades que mais teve aumento de arrecadação financeira em relação aos outros municípios brasileiros. “Apesar de a nossa cidade ter o título de maior circulação de dinheiro em impostos, somos também a cidade de pior nível educacional do Brasil, ficamos no ranking 4.057 de pior sistema educacional brasileiro”, ressaltaram.
Ele citou que na época que Elias Lira administrou Vitória ainda não existia o Fundeb e não haviam tantos recursos federais, “porém todas as escolas tinham merenda, professores pagos em dia etc.”, citaram. “Vitória hoje tem muito dinheiro, mas uma péssima educação” salientou.

Propondo o que fará no setor de Educação citou que vai investir na capacitação dos profissionais da rede de ensino municipal e no PCC. Fortalecimento da Gestão democrática nas escolas. Criação do programa do Analfabetismo Zero, com os Agentes Comunitários da Educação (ACE), que serão responsáveis pela localização e efetivação da matrícula das crianças e adolescentes que estejam fora da sala de aula.
Após, tentando fazer uma comparação do governo na época de Elias com o atual, divulgaram um áudio antigo da campanha eleitoral do José Aglailson quando disputava a prefeitura. Para provar, segundo eles que “Aglailson promete e não cumpre”, eles colocaram a voz de Aglailson no ar: “No campo da educação os professores serão a meta maior. Vamos cumprir o que determina a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da educação) cumpriremos com capacitação os professores e vamos valorizar o magistério. Se eu não cumprir, me expulsem da Prefeitura”, havia dito o ex-prefeito José Aglaílson.

Continuando a sessão de ataques, eles divulgaram a visita da Polícia Federal (PF) em Vitória de Sto. Antão na última quinta-feira, os quais detiveram em flagrante três funcionários da Prefeitura arrancando os trilhos da rede ferroviária que está sob a concessão da Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN).
Afirmaram que a PF levou os três para o Recife onde foram encaminhados ao COTEL. “Significa dizer eleitor, que eles descumprem a Lei e quem paga são os pobres de seus funcionários”, frisou. Questionaram ainda porque as rádios de Aglaílson não divulgaram este fato.

O médico Edvaldo Bione iniciou com o depoimento defendendo o setor da saúde, no guia da Frente Popular da Vitória, como candidato a vice na chapa do prefeito DEDÉ.
Abrindo a interação com o eleitor que lhe perguntou sobre a questão do Bolsa Família, o candidato à reeleição Demétrius Lisboa respondeu: “No meu governo vou reforçar o Bolsa Escola. Vou ampliar os outros programas federais no Município em parceria com o Governo Federal. Pois o presidente Lula tá com Dedé”, salientou.
Outro eleitor indagou sobre aquela empresa que deveria ter concluído o programa de Saneamento básico de Vitória e de Pombos e não terminou, o que ele fará? Respondendo: “Vamos trabalhar muito para concluir e resolver o problema de saneamento da cidade”, prometeu.
Questionado sobre a Feira Livre, ele foi taxativo: “Não vou mexer com a Feira Livre no centro da cidade. Nosso objetivo é revitalizar toda a Feira. O que Dedé tá fazendo é comprando bancos padrões, modernos e de aço, que vai facilitar a vida do feirante. Vou fornecer estes bancos independente do número de bancos que os feirantes tenham. É isso o que vamos fazer!”, pontuou.
Após usou um áudio gravado com o presidente brasileiro, Luís Inácio Lula da Silva (PT), que declarou sobre a importância da população eleger prefeitos aliados a sua base de apoio. Com um áudio padrão para todos os candidatos de sua base, Lula declarou: “Se o prefeito tiver afinidade com as nossas ações, isso facilita o desenvolvimento do Município. Escolha alguém que se preocupe com o futuro do País”, pediu.

Para finalizar o programa o locutor elencou uma dezena de obras realizadas na atual gestão municipal, dentre elas as CAES, o programa social de distribuição de sopa e cestas básicas. O programa de iluminação pública com aquisição de lâmpadas, citando a Av. Mariana Amália e demais pontos, a instalação de Semáforos, a doação de veículos para o serviço de segurança pública equipando a polícia militar, dentre outras.

Convidou a população para a Grande Caminhada, neste sábado à noite, pelas principais ruas da cidade.


Por
Lissandro Nascimento.