Ceclin
maio 26, 2008 7 Comentários


Guerra Fria: do campo político para o esportivo

Já se tornou pública a disputa por espaço político entre Paulo Roberto (PSDB) e o ex-prefeito José Aglaílson (PSB). Há uma polarização por parte dos meios de comunicação ligados a família Querálvares em acusar, quase que diariamente o Diretor da FACOL, Paulo Roberto, presidente municipal do PSDB. As acusações em grande parte, são de ordem pessoal. Chegando ao ponto de Aglaílson chamá-lo de “sonegador de impostos”, o qual Paulo Roberto o desafiou para um debate político “sem baixaria e respeitando a ordem democrática”, disse Paulo em matéria neste Blog do dia 27/03/08. Porém até a presente data o debate não foi agendado por Aglaílson.
Agora, a disputa saiu do campo político para o campo esportivo.
O Paulo Roberto que tem um histórico de vida no futebol pernambucano, foi um dos fundadores da Desportiva Vitória, depois se afastando para cuidar do empreendimento FACOL. Na época José Aglaílson abraçou outro time, o Vera Cruz, que caiu para a 2ª divisão do Campeonato Pernambucano 2008.
Com a formação de um novo time “Vitória das Tabocas Futebol Clube”, organizado por Paulo Roberto, o ex-prefeito da Vitória inventou um outro que batizou de “Tabocas Futebol Clube”. Ainda montou na PE 45 uma área com dez hectares para funcionar o Centro de Treinamento Esportivo, convidando inclusive o governador Eduardo Campos (PSB) para ser o presidente de honra.
Apaixonando-se por esta intriga no campo esportivo, o grupo do Vera Cruz, na pessoa do Secretário de Esportes do Município, radialista J. Domingos, acusou nesta segunda-feira (26), na TV Vitória e na Rádio Cultural AM de que ele foi ameaçado de morte por Paulo Roberto. Através de uma queixa-crime, J. Domingos afirmou que em um encontro na Federação Pernambucana (Recife) o Paulo Roberto havia ameaçado ele. E essa acusação dita pelo radialista ligado a Aglaílson, está sendo veiculada em toda programação ligada a família Querálvares.
PAULO ROBERTO RESPONDE:
Em entrevista exclusiva, fornecida ao Programa A Voz da Vitória nesta segunda (26), o Diretor da FACOL – Paulo Roberto declarou que isso não passa de uma difamação e falso testemunho. “Ele terá que mostrar o ônus da prova de que eu falei isso”, disse. Com tranquilidade, Paulo Roberto relatou que o encontro na Federação foi com inúmeras pessoas e que houve uma conversa pública agradável. “Vitória me conhece. Não guardo rancor de ninguém. Eu seria incapaz de fazer tal gesto. Somos educadores. O problema é que eles tem medo que eu leve o Vitória das Tabocas a primeira divisão do Campeonato Pernambucano”, assinalou Paulo Roberto.
“Não tenho conversas com porcos. Prefiro conversar com o dono dos porcos”. Completando: “Se algo acontecer com este rapaz será por conta do grupo político dele, para me incriminar”. “E se algo acontecer comigo, inclusive assalto, espero que o povo de Vitória reclame do verdadeiro possível mandante, que está claro quem é”, ressaltou Paulo.
Abalado com a falsa acusação, Paulo Roberto garantiu que vai esperar da Justiça Federal se pronunciar sobre o caso. “Vou processá-lo judicialmente. Não sou de trocar farpas pelos veículos de comunicação. A nossa conversa será na Justiça. Não podemos permitir que estes instrumentos de comunicação só sirvam para denegrir a imagem das pessoas”, frisou ele.
Durante a entrevista, várias lideranças políticas partidárias de todas as correntes políticas ligaram para a Rádio Tabocas FM se solidarizando com Paulo Roberto que é um possível candidato a Prefeitura Municipal.

por Lissandro Nascimento.