Ceclin
jan 18, 2022 0 Comentário


Com indicativo de greve para março, servidores federais lançam campanha salarial em PE

Com 13,5 milhões de desempregados no País e uma inflação na casa dos dois dígitos (10,06% em 2021), o Sindsep-PE resolveu realizar na terça-feira (18/01), como parte das atividade de lançamento da Campanha Salarial 2022 dos servidores públicos federais, um ato solidário. Em parceria com o projeto Mãos Solidárias do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) foram distribuídas mais de 300 marmitas para pessoas em situações de rua no centro do Recife e nas palafitas, no Pina.

“A sociedade precisa entender a importância do serviço público e nós, servidores públicos, entendemos perfeitamente as necessidades da população porque isso perpassa o nosso trabalho cotidiano”, salienta o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira. Essa é a primeira vez que o sindicato faz um ato solidário. Foi assim no Dia do Servidor, em 28 de outubro passado. Lembrando que desde o início da pandemia a entidade contribui mensalmente com o projeto Mãos Solidárias do MST.

Além do ato solidário, no início da manhã dessa terça, foi realizado um ato público em frente ao Banco Central, na rua da Aurora, centro do Recife. A atividade também marcou o lançamento da Campanha Salarial 2022 do setor no Estado e aconteceu simultaneamente em vários pontos do Brasil, inclusive no Distrito Federal. O objetivo foi o de conscientizar a população sobre os ricos da política econômica do governo Bolsonaro e a necessidade de valorizar o serviço público.

O ato público da rua da Aurora, organizado pelo Sindsep-PE, Sindsprev, Sintrajuf, Sintufepe, SindMPU, Adufepe e Aduferpe, contou com a presença da CUT e de sindicatos de outras categorias. “Essa ato acontece em um momento adverso aos servidores públicos, assim como a toda a classe trabalhadora, que sofrem com os constantes ataques do governo Bolsonaro, que insiste em retirar nossos direitos e precarizar o serviço público para entregá-lo à iniciativa privada. Por isso, precisamos dialogar com a sociedade”, reforça José Carlos de Oliveira.

O ato dos servidores públicos federais dessa terça é o primeiro de outros que devem acontecer este mês e em fevereiro. É que a categoria, que luta por um reajuste salarial linear de 19,99%, possui um indicativo de greve para o próximo mês de março. “Estamos há cinco anos sem reajuste e este governo Bolsonaro não negocia conosco. Muito pelo contrário, nos ataca constantemente. Uma prova disso é a PEC 32 (reforma administrativa), que tem o objetivo de destruir o serviço público”, explica o coordenador geral do Sindsep-PE.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco  – SINDSEP-PE.