Ceclin
maio 29, 2011 0 Comentário


Gravatá planeja 2 novos viadutos

Depois de receber a notícia de que é uma das cidades pré-selecionadas para abrigar um Centro de Treinamento para a Copa de 2014, a cidade de Gravatá, no Agreste do Estado, já se prepara para fazer melhorias. Entre as principais intervenções, estão a construção de dois viadutos, uma vila olímpica, obras de esgotamento sanitário e melhorias na segurança. O Projeto Gravatá 2014 foi apresentado na última terça-feira pelo prefeito Ozano Brito a empresários da cidade, durante reunião do Fórum de Desenvolvimento de Gravatá.

Os viadutos serão construídos para facilitar a ligação entre os bairros. “Com a duplicação da BR-232, a cidade ficou dividida ao meio, com apenas uma passagem por baixo da rodovia”, disse o secretário de Planejamento, Jaime Prado. O primeiro viaduto ficará na entrada da cidade, unindo a Rua 15 de Novembro ao início da Estrada de Russinhas, e o outro na Zona Oeste, ligando a Rua do Norte ao Rio do Peixe. Este elevado daria acesso à Vila Olímpica que a prefeitura pretende construir no Estádio José Salgado da Silva.
Na área de cinco hectares será construído um estádio com arquibancadas, além de quadra coberta, piscina e área para a imprensa. “Nosso objetivo é oferecer toda a estrutura para uma seleção treinar”, informou Jaime Prado. Outro objetivo da vila olímpica é dar condições para que a cidade também receba jogos do campeonato pernambucano.
Ainda está prevista no Projeto Gravatá 2014 a conclusão do sistema de esgotamento sanitário. Segundo Jaime Prado, parte da obra foi iniciada com o Projeto Alvorada. As melhorias para a segurança da cidade incluem a instalação de câmeras no centro e na periferia.
Nenhuma das obras apresentadas tem projeto executivo pronto. “Sabemos que Gravatá tem boas condições para sediar um Centro de Treinamento e, por isso, vamos trabalhar para apresentar aos técnicos da Fifa nossos projetos bem definidos”, disse Jaime Prado. O processo de licitação para elaboração dos projetos já foi iniciado. Ainda de acordo com o secretário, mesmo que Gravatá não seja escolhida, as obras serão realizadas. “A Copa é um incentivo para acelerar a liberação de recursos e a realização das obras está nos planos da administração municipal”, acrescentou. A prefeitura deverá arrecadar dinheiro para as obras através de parcerias com os governos estadual e federal, além da iniciativa privada.

(Jornal do Commercio).