Ceclin
fev 27, 2013 1 Comentário


Gravatá decreta estado de calamidade administrativa e financeira

Diante da difícil situação em que se encontra a Prefeitura de Gravatá, no Agreste do Estado, o prefeito Bruno Martiniano (PTB), decretou “Estado de Emergência Financeira e Administrativa no Município”. O Decreto do Executivo tem a data de 14 de fevereiro (com efeito retroativo em 1º de janeiro de 2013), porém só chegou na Câmara para ciência dos vereadores na noite dessa terça-feira (26).

Pela primeira vez em 58 dias de governo e exposto a todo tipo de críticas e reclamações da população, o prefeito Bruno Martiniano, através de um Decreto, foi a público declarar que pegou uma Prefeitura falida, desorganizada, inadimplente, devendo e com sua capacidade de comprometimento de receita inferior a sua realidade, com informações sonegadas, com prestação de serviços essenciais suspensos e sem contratos de continuidade.  O gestor informou também que os computadores da Secretaria de Saúde estão sem informações para serem pesquisadas.

Segundo Bruno Martiniano, os salários dos servidores estão atrasados no mês de dezembro de 2012, além de um município estar negativado em órgãos importantes como o INSS, Receita Federal, MAPS, no CAUC e as senhas de acesso a diversos programas e sistemas governamentais como SICON, SUASWEB, SIGPC, SIGONV e outros. Por conta dessas irregularidades Gravatá está impedida de contratar empréstimos e de receber verbas de convênios.

Saiba mais clicando AQUI.