Ceclin
nov 02, 2012 0 Comentário


Governador bate forte na Celpe

Jornal do Commercio

Os moradores de Serra Talhada e algumas cidades vizinhas levarão mais um mês sem receber a água da Adutora do Pajeú porque não foi instalado o sistema elétrico do empreendimento devido à dificuldade de assinar um contrato para a prestação desse serviço entre a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). O fato irritou o governador Eduardo Campos, que criticou a postura da distribuidora.

“A procuradoria do Dnocs entendeu que a Celpe colocou algumas cláusulas abusivas. Entramos em contato com a empresa para retirá-las e recebemos um e-mail informando que não era possível”, explicou a coordenadora estadual do Dnocs, Rosana Bezerra. A região passa por uma grande estiagem.

Segundo Rosana, a procuradoria do Dnocs considerou cláusula abusiva o fato da Celpe colocar um prazo máximo de 10 dias para o pagamento do serviço depois da sua conclusão e também a exigência que o Dnocs teria que pagar uma quantia por perdas e danos à Celpe, caso esse prazo não fosse cumprido.

Anteontem, quando o governador Eduardo Campos (PSB) estava visitando as obras da Adutora do Pajeú, em Serra Talhada, a coordenadora estadual do Dnocs entregou a Eduardo uma cópia do contrato que a Celpe desejava que o órgão assinasse.

Depois disso, o governador criticou publicamente a Celpe por não fazer obras para os pobres e estar contribuindo para o atraso das obras dos governos estadual e federal. “Ela (Celpe) não pode tratar o governo federal como um cliente, é um acinte, um achincalhe com a lei, porque uma empresa privada, que pertence a um fundo de pensão de um banco público, não pode constranger um órgão público que quer levar água a quem está morrendo de sede”, disse.

De acordo com informações do governo do Estado, a Celpe receberá R$ 3,48 milhões e deverá executar a implantação do sistema elétrico num prazo máximo de 120 dias na 1ª etapa do sistema, que vai de Floresta até Serra Talhada. A Celpe e o Dnocs passaram um mês sem chegar a um entendimento sobre a assinatura do contrato. Inicialmente, a água chegaria a Serra Talhada em novembro. Com a demora, isso só ocorrerá em dezembro.

Após os comentários do governador, a Celpe retirou as cláusulas abusivas e o contrato de instalação do sistema elétrico foi assinado entre a Celpe e o Dnocs ontem pela manhã.

A assessoria de imprensa da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informou que a empresa reconhece a importância e a urgência da obra do sistema adutor do Pajeú e que, desde julho, adquiriu e vem transportando para a região todo o material necessário ao projeto (70 toneladas de cabos, 42 quilômetros de rede e 600 postes).

Ainda de acordo com a Celpe, para o cumprimento das suas responsabilidades, a empresa aguardava as condições legais que foram obtidas ontem por meio de contrato assinado com o Dnocs dentro das normas da Aneel.