Ceclin
set 09, 2010 0 Comentário


Fundação Altino Ventura quer transformar Gravatá em polo cirúrgico

Do JC Online

Núcleo SJCC/Caruaru
Os agentes comunitários de saúde de Gravatá, no Agreste, participaram na manhã de hoje (9), de uma capacitação promovida pela Fundação Altino Ventura do Recife. O treinamento, realizado no Colégio Devaldo Borges, teve como objetivo capacitar os profissionais para que eles aprendam a identificar a catarata e o pterígio, doenças que atingem a visão. A capacitação reuniu 180 agentes.

O intuito maior da Fundação Altino Ventura é formar em Gravatá um polo cirúrgico incluindo as cidades de Chã Grande e Pombos, para diminuir o número de atendimentos na Capital pernambucana.

De acordo com Cristiane Valéria, coordenadora dos PSFs, durante o encontro foram repassados alguns conhecimentos para identificação de pacientes com probabilidade de catarata e pterígio, baseados nas instruções repassadas pelo assistente social André Cavalcanti.

“Com os agentes de saúde informados e capacitados, poderemos identificar as doenças em seus estágios iniciais, podendo haver tratamento sem a necessidade de uma cirurgia”, afirmou Cristiane.

Caso a doença seja detectada o médico solicitará os exames pré-operatórios (sangue e coração) e posteriormente o paciente será submetido a cirurgia no ônibus cirúrgico da Fundação Altino Ventura.

Segundo André Cavalcanti, assistente social e palestrante, Gravatá se tornando um município polo, os atendimentos no interior teriam mais rapidez e qualidade.

“Com essa capacitação teremos a colaboração dos agentes na identificação das doenças e poderemos evitar o deslocamento desses pacientes para o Recife. A equipe é quem virá com o ônibus cirúrgico e realizará as cirurgias”, disse.