Ceclin
dez 22, 2008 0 Comentário


Funcionários correm para ajeitar o Carneirão

Publicado em 21.12.2008

Marcos Leandro

Fortemente criticados no ano passado – com razão –, os gramados dos estádios do interior que servirão de palco para os jogos do Campeonato Pernambucano 2009, a partir do dia 11 de janeiro, estão sendo avaliados com mais rigor pela Federação Pernambucana de Futebol. Tanto que a maioria dos times está fazendo a pré-temporada em outros locais e até em cidades vizinhas, como prova de preservar os terrenos.

A reportagem do JC visitou os oito estádios fora da capital – Luiz Lacerda (Central e Porto), Gigante do Agreste (Sete de Setembro), Otávio Limeira Alves (Ypiranga), Carneirão (Vitória), Gileno de Carli (Cabense), Cornélio de Barros (Salgueiro), Pereirão (Serrano) e Paulo Coelho (Petrolina) – e conferiu de perto o esforço dos clubes para melhorar os campos, que ainda carecem de uma melhor condição até o pontapé inicial.

Uma das mais tradicionais praças esportivas do interior, o Carneirão – que este ano volta a recepcionar jogos do Vitória na elite –, também passa por uma nova roupagem. Em alguns trechos, foram enxertados tapetes de grama esmeralda. O piso já passou por dois cortes, mas ainda tem irregularidade. Além do gramado, o estádio terá um novo setor de cadeiras, além de bancos de reservas reformados. De acordo com o presidente do Vitória, Paulo Roberto, o custo chega aos R$ 100 mil.

Sem moleza. Com o regulamento do Pernambucano voltando a marcar a disputa em dois turnos independentes de pontos corridos, os times do interior apostam tudo na primeira metade da competição, quando os três grandes da capital – Sport, Náutico e Santa Cruz –, ainda não estão em sua plenitude técnica e, principalmente, física. Tanto que todos os interioranos já trabalham forte visando à estréia, mesmo ainda sem contar com todos os seus contratados.
“Estamos fazendo tudo dentro de nossas possibilidades para fazer um grande primeiro turno e surpreender muita gente”, disse o técnico Peu Santos, do Vitória, que volta à elite ao lado da Cabense. A principal contratação do Vitória foi o lateral-direito Índio (ex-Corinthians), enquanto a Cabense apostou no atacante Fabinho, ex-Sport e Santa Cruz.

(Jornal do Commercio).