Ceclin
nov 04, 2009 0 Comentário


Função do Centro de Reabilitação de Policiais é explicado no A VOZ DA VITÓRIA

O Centro de Reeducação da Polícia Militar – CREED, é o estabelecimento prisional responsável por acolher, exclusivamente, os servidores militares do Estado de Pernambuco que cumprem decisão judicial restritiva de liberdade. O CREED fica em Abreu e Lima, ao lado do Cotel.
Para falar deste assunto, entrevistamos o Tenente Coronel da PM Alcides, 52 anos, no Programa A VOZ DA VITORIA na manhã desta quarta-feira (04), pela Rádio Tabocas FM (98,5).

Há pouco mais de um ano, visando implementar uma administração focada na dignidade da pessoa humana, foi criado o Programa Reconstruindo a Cidadania, conjunto de ações voltadas prioritariamente para os aqui reclusos e seus familiares.

“Através de vários esforços e atividades temos conseguido avançar na recuperação destes, aproximadamente noventa apenados”, ressaltou. Os mais de trinta eventos já realizados enfatizaram o trabalho, a saúde física e mental, a assistência social e religiosa, entretenimento, a capacitação. Propiciaram além de alternativa ao ócio, condições objetivas à população carcerária para que travasse contato, reconhecesse e demonstrasse estar ajustada às convenções sociais e às normas de nossa sociedade.

“O nosso objetivo é que estes retornem ao convívio e possam servir novamente a sociedade, recuperados moralmente. Nosso esforço é totalmente voltado para o social envolvendo a família e a sociedade. Não só para os casos de apenados mas também aqueles que tiveram infração disciplinar”, explicou o Coronel Alcides.
As comemorações das datas festivas, os cursos, os worshops e as palestras foram fruto do trabalho de muitos integrantes da sociedade civil que, abnegadamente, acreditavam no poder transformador do voluntariado. Nada receberam além do reconhecimento e a gratidão da Corporação Militar.

“Já algum tempo a Polícia Militar procura estabelecer um convívio maior com a sociedade. Toda a ação policial militar deve envolver as comunidades”, reforçou.

por Lissandro Nascimento.