• Ceclin
abr 03, 2009 1 Comentário


FPM menor não impede concursos

Publicado em 03.04.2009

Pelo menos 6 municípios pernambucanos estão com concursos em andamento, somando 1.693 postos de trabalho, com salários de R$ 465 a R$ 5.000

Leonardo Spinelli

Mesmo esperneando, indo para Brasília com a intenção de pressionar o governo federal, fechando as prefeituras em sinal de protesto, tudo isso para denunciar a redução das verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), uma coisa os prefeitos não vão deixar de fazer: contratar mais funcionários públicos.
Pelo menos seis prefeituras de todas as regiões do Estado estão com concursos públicos em andamento, totalizando 1.693 novos postos de trabalho, com salários variando entre R$ 465 e R$ 5.000 que ajudarão a pressionar ainda mais os já combalidos orçamentos municipais.
A prefeitura que abriu mais vagas foi a de Moreno, na Região Metropolitana do Recife (RMR), com 1.066 delas em aberto, sendo 555 para contratação imediata e o restante para cadastro de reservas. O evento vai trazer para a prefeitura, além de novos professores, pessoal da parte administrativa e serviços gerais. O prefeito Edvard Bernardo chegou a afirmar, em matéria publicada no JC no dia 29 de março, que não descartaria corte de pessoal por causa da crise dos repasses do FPM. “Não quero criar pânico, mas se houver demissão começaremos pelos cargos comissionados”, afirmou. As inscrições para o concurso terminam no dia 5 de abril e as taxas deverão ser pagas até o dia posterior, levantando a dúvida nos candidatos: vale a pena arriscar?
A Prefeitura de Moreno foi procurada na tarde de ontem para prestar esclarecimentos sobre a viabilidade de um concurso numa época de redução orçamentária, mas, assim como os demais representantes dos outros municípios, ninguém foi achado. A reportagem ligou repetidas vezes para 21 números diferentes (fixos e móveis) de algum representante municipal das cidades incluídas na matéria, mas não obteve sucesso.
Além de Moreno, abriram concursos os municípios de Bom Jardim (231 vagas), Arcoverde (32), Passira (20), Salgadinho (126) e Trindade (344).
O prefeito de Carnaíba e presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), Anchieta Patriota, defende a postura dos colegas. Segundo ele, os editais foram lançados antes da crise dos repasses do FPM, ou seja, são anteriores a março. “Além disso, os municípios têm necessidade de pessoal e precisam substituir os contratados por concursados, sob pena de serem multados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)”, comentou. “Eu mesmo estou programando lançar concurso para professores em junho.”
Patriota também alega que muitas das vagas são destinadas a serviços essenciais. “Educação e saúde. Acredito que muitas delas são para essas áreas”, comentou. Em Arcoverde e Passira a totalidade das vagas é para educação e saúde, nas outras prefeituras os cargos são dos mais variados. Somando as perdas de cinco desses municípios (Bom Jardim, Arcoverde, Passira, Salgadinho e Trindade), a queda no repasse entre fevereiro e março deste ano foi de R$ 1,115 milhão.
(Jornal do Commercio).