Ceclin
out 17, 2014 0 Comentário


Fornecedor rebate dizendo que a Prefeitura da Vitória age de má fé

A CAMPESTRE RAÇÕES-ME, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 02.035.769/0001-70, vendeu à Prefeitura da Vitória de Santo Antão maquinários para Agricultura e denunciou ao Portal A Voz da Vitória que havia sofrido calote (Confira AQUI), porém a Prefeitura se defende alegando não ter recebido o produto (AQUI). Por sua vez, o fornecedor diz que a Prefeitura age de má fé…

A Prefeitura da Vitória de Santo Antão está sendo denunciada por um fornecedor, de não efetuar o pagamento da compra de um item para o trabalho agropecuário. A empresa responsável pela acusação é de Campina Grande, na Paraíba, e afirma que duas das três parcelas da aquisição de uma Grade Aradora ainda não foi repassada. O valor total do produto é de R$ 15.800,00, porém, o fornecedor afirma que desde setembro do ano passado recebeu apenas R$ 5.267,67, equivalente a uma parte do combinado. Restando ainda outros pagamentos, a Empresa Paulo Enesto do Rego Filho-ME, tenta um acordo com o contratante, mas não tem recebido se quer uma resposta.

Diante dos fatos, a Prefeitura do Município respondeu a denúncia e afirmou que a empresa não enviou o produto [Grade Aradora], conforme nota enviada:

“(…) O contrato administrativo nº 117/13, referente à licitação, foi assinado em 19/07/2013, estando ali contidas a forma de entrega dos equipamentos e as condições de pagamento. O fornecedor não entregou o item 04 (roçadeira), nem prestou qualquer informação acerca de novo prazo, ou mesmo sobre a impossibilidade de entrega da mesma.

Diante do descumprimento contratual, por parte da empresa, a Prefeitura encaminhou o processo para a Procuradoria Municipal, que recomendou o não pagamento das parcelas, até que o fornecedor entregasse o restante dos equipamentos”.

Mediante esta resposta, o fornecedor rebateu e acusa a Prefeitura de agir de má fé. Ele emitiu uma nota de esclarecimento, e entre os principais pontos, destacou que  a empresa não tem a ordem de financiamento ou empenho do item que a Prefeitura afirma não ter recebido, e que mesmo que se tivesse não poderia fornecer por que já estava em atraso. O fornecedor alega ainda que em nenhum momento foi chamado para se defender. Pelo contrário, a Prefeitura se nega falar com ele.

“Como podemos ver não foi a empresa que descumpriu o contrato e sim a Prefeitura de Vitória de Santo Antão. A nota oficial está querendo apenas confundir as pessoas com inverdades como está fazendo com nossa empresa. Só promessas e chateações para receber o que a nós é devido. Nossa empresa cumpriu o que estava no contrato; agora nos pressionar a entregar mais material sem receber o que já foi entregue, isso é de mais”, disse o denunciante. 

Confira os documentos: