Ceclin
dez 09, 2011 0 Comentário


Fiscalização ambiental da CPRH flagra crimes ambientais em todas as regiões do Estado

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) flagrou infrações ambientais e realizou apreensões na Zona da Mata, regiões do Agreste e Sertão, além da Região Metropolitana do Recife (RMR). Na primeira semana de dezembro, quatro ações merecem destaque. No sítio Queimada de Baixo, município de Brejo da Madre de Deus, Agreste Central, foram apreendidas 300 estacas e 300 varas das madeiras nativas Jurema e Angico. Os transgressores também foram advertidos.

Em Custódia, Sertão do Moxotó, por sua vez, 250 estacas das mesmas espécies – Angico e Jurema – foram apreendidas pela fiscalização florestal da Agência na Fazenda Jaramataia. Uma advertência também foi aplicada.

Já em Água Preta, Zona da Mata, um caminhão quebrado na estrada chamou a atenção dos fiscais que acabaram encontrando armazenados no veículo 15 estéres (unidade de medida equivalente ao metro cúbico, utilizada para medir o volume da madeira empilhada) de lenha nativa. O carregamento ilegal seguiria para a Indústria de cerâmica Água Preta, a qual recebeu a multa de R$ 1 mil. O mesmo valor de penalidade também foi aplicado a duas serrarias, pela utilização de 50 toras das madeiras nativas Camaçari, Visgueiro, Sucupira e Sambacuim.

No bairro da Muribeca, Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife, o foco da ação foram os depósitos de carvão. Em três deles – Brasinha, Manda Brasa e São Conrado – a soma de sacos irregulares apreendidos chegou a 3.077. No Manda Brasa, onde o crime ambiental foi maior, com 2.227 sacos ilegais, a multa chegou a R$ 3 mil e o caminhão da empresa também foi detido.

O diretor-presidente da CPRH, Hélio Gurgel, afirmou que “as ações de combate à ilegalidade florestal no Estado de Pernambuco têm sido realizadas com sucesso e, em 2012, serão intensificadas, com vistas à implantação do novo código florestal”.

 com informações da Assessoria.