• Ceclin
dez 29, 2009 5 Comentários


Final de ano é sinônimo de consumismo

Último Mesa Redonda 2009 debate “Consumo no Natal”.
Por Cláudio Gomes
O Programa Mesa Redonda da Tabocas FM (98,5), apresentado por Lissandro Nascimento debateu na sexta feira (18) “O consumismo no Natal”. O debate que vai ao ar todas as sextas feiras às 12:30 h. recebeu o representante do Centro Espírita Servidores do Cristo, Benedito Batista; representando a Paróquia Nossa Senhora do Livramento marcou presença a Catequista Genilda Alves. No segundo momento do Programa também estava para debater o Padre Josenildo, da Igreja Católica da Bela Vista.
De acordo com a catequista Genilda Alves, o Natal “é o amor e a celebração de Deus para com a humanidade, manifestado em seu filho Jesus, contudo é a festa de Deus entre nós. A igreja sempre direciona o ponto religioso, onde se passam para os catequizandos o nascimento de Jesus”, frisou.
Ela ainda ressaltou o equivocado direcionamento de Papai Noel com o nascimento de Jesus. “Porém, Papai Noel é um folclore. Além disso, o Papai Noel é uma figura mitológica popular em muitos países, associada com os presentes para crianças. Há muita gente, que quando chega a época do Natal se preocupa em tirar as poeiras, as teias de aranhas da casa e não lembra de tirar as raivas, os ódios do coração”, ponderou Genilda.
Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, o Natal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos, sendo que alguns de seus costumes populares e temas comemorativos têm origens pré-cristãs ou seculares.
“Costumes populares modernos típicos do feriado incluem a troca de presentes e cartões, a Ceia de Natal, músicas natalinas, festas de igreja, uma refeição especial e a exibição de decorações diferentes; incluindo as árvores de Natal, pisca-piscas e guirlandas, visco, presépios”, pontuaram durante o Programa.
Como a troca de presentes e muitos outros aspectos da festa de Natal envolvem um aumento da atividade econômica entre cristãos e não cristãos, a festa tornou-se um acontecimento significativo e um período chave de vendas para os varejistas e para as grandes e médias empresas. O impacto econômico do Natal é um fator que tem crescido de forma constante ao longo dos últimos séculos em muitas regiões do mundo.
Foi lembrado também que as pessoas na Cristandade que celebram o Natal, trocando presentes e desejos de “Boas Festas” ou “Feliz Natal”, e se alegrando com a ideia de que estejam agindo corretamente.
“Na verdade, esta se tornou a tradição favorita entre os Cristãos, e é tão bem aceita que qualquer tentativa de se buscar sua origem, a qual pode ser facilmente encontrada nas enciclopédias e em documentos imparciais da história da igreja, tende a ser mal recebida”, considerou Benedito Batista.
A Palavra de Deus não justifica esta celebração anual, mas a condena severamente. Sendo assim, a tradição que emanava do “deus deste mundo”, brotou por meio do paganismo, foi transplantada para o Cristianismo por antepassados infiéis, e aperfeiçoada pela Igreja de Roma, “a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra”, explicou Benedito. “Assim como as crianças são levadas a acreditar em Papai Noel, a Cristandade tem sido enganada por cegos que são guias de cegos”.
No ponto alto da Mesa Redonda foi destacado “o aborrecimento e a irreverência na entrada dos ímpios na Cristandade sem qualquer consciência de seus pecados e nem tampouco qualquer disposição de coração para com o Senhor. O mesmo pode ser dito acerca da multidão de pessoas batizadas, que professam o Cristianismo, sem nunca haverem passado da morte para a vida”, afirmou o Padre Josenildo.

“Mas dói ainda mais quando vemos aqueles que são “filhos da luz” agirem em total ignorância ou indiferença acerca da origem maligna dessa tradição, levados pela corrente e procurando celebrar tal data da maneira que lhes parece a melhor possível. O Natal de Jesus é um fato histórico, fico muito triste quando se prega uma palavra de Jesus e não é condizente com a verdadeira história de Jesus”, destacou o Pároco da Igreja Católica da Bela Vista.

Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira, Orlando Leite, Cláudio Gomes.
Equipe: Gilberto Júnior, Genilda Alves, Berg Araújo.