Ceclin
jun 15, 2020 0 Comentário


Fiesp quer população contra servidor

A sede da indústria paulista: pirâmide de trabalho e história. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A Fiespe, entidade que agrega empresários brasileiros poderosos, grande parte deles devedores de bilhões em impostos, resolveu veicular uma propaganda na televisão para colocar a população contra os servidores públicos. A peça usa de forma cruel a situação de miséria pela qual muitos brasileiros está passando para criticar o reajuste de servidores que estão na linha de frente no combate a pandemia do novo coronavírus.

O objetivo é fazer com que os parlamentares do Congresso Nacional não revoguem o veto presidencial de Jair Bolsonaro ao PLP 39/2020, que proibiu em lei reajustes de salários defasados até dezembro de 2021.

Importante destacar que os servidores estão com seus salários congelados há mais de três anos. E mesmo assim estão a postos na defesa da sociedade. Enquanto isso, um levantamento feito, apenas junto ao agronegócio, mostra que 50 empresas acumulam R$ 205 bilhões em débitos em tributos. A dívida do setor representa 20% da “economia” que o ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que terá com a reforma da Previdência nos próximos 10 anos.

Ao contrário do que acusa este governo, de acordo com o Painel Estatístico de pessoal, 58,96% dos servidores ativos não recebem super salários. Na verdade, a grande maioria recebe salários entre R$ 3.500 e R$ 4.500, valor que, segundo o Dieese, deveria ser o do salário mínimo brasileiro. «Ao invés de trabalhar para retomar o crescimento da economia e promover a  geração de empregos, Bolsonaro e a elite nacional só pensam em cortar direitos dos trabalhadores. Não podemos ser culpados pela incompetência deles», destacou o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira.

O Brasil possui mais de R$ 4 trilhões em reservas, que deveriam ser utilizadas para socorrer a população neste momento dramático da história. Mas a política de combate à pandemia e a recente investida do governo em diminuir o valor das parcelas emergenciais para os mais vulneráveis evidencia a postura genocida da equipe de Jair Bolsonaro.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE.