• Ceclin
jan 12, 2015 0 Comentário


Feijoada da ABTV teve o ritmo da crítica

ABTV 2015Dirigentes de blocos, clubes e troças carnavalescas, foliões, patrocinadores e membros da imprensa prestigiaram no último sábado (10/01), a edição da feijoada promovida pela ABTV – Associação dos Blocos de Trio Elétrico da Vitória de Santo Antão.  O evento que abre tradicionalmente o calendário carnavalesco da cidade ocorreu no Restaurante Gamela de Ouro.

A Feijoada da ABTV contou com artistas da terra e a Orquestra de Frevo Ciclone animando o cardápio dos foliões. Ricardo Rico & Banda, Jonatha Chocolat, Pierre, Nildo Ventura, e William da Banda Zuêra cantaram juntos músicas carnavalescas em um aquecimento para a Folia de Momo.

Presidida por Charles Romão, organizador do Bloco Infantil Baby Alegria, a entidade  aproveitou o ensejo e prestou homenagens neste Carnaval 2015. A honraria é parte da cerimônia todos os anos do evento. Foram contemplados a Tia Betinha Sandres que há décadas tem deixado sua marca nas fantasias que desfilam nos carros alegóricos; o escritor Gustavo Ferrer, autor dos hinos oficiais do Bloco A Girafa e da Troça ETesão & ETesuda; além do Dr. Dorgival Soares, Antonio Ferrer (Tonho Tripa) e Antonio Vieira da Silva (Toinho do Atelier 2).

Artistas vitorienses garantiram o sucesso da festa. Jonatha Chocolat foi o destaque. Fotos: A Voz da Vitória/Equipe.

Artistas vitorienses garantiram o sucesso da festa. Jonatha Chocolat foi o destaque. Fotos: A Voz da Vitória/Equipe.

Notou-se a ausência de representação do Poder Legislativo vitoriense ao evento. Do Poder Executivo apenas o Secretário de Governo – Ozias Valentim, que não se pronunciou, dando a entender que estava na Feijoada da ABTV como dirigente da Troça Os Pinguços. Em tom de desabafo, Charles Romão criticou o que chamou da velha politicagem no Município. “É lamentável reconhecer que o Carnaval de Vitória poderia estar em melhor situação. A culpa é da velha política que tem atrapalhado a boa condução da festa momesca”, sentenciou. Para ele, foi uma vitória que o percurso do carnaval tenha voltado pelo tradicional corredor da folia, o que evitará o vexame do que foi o Carnaval 2014.

Ciente que hoje há uma dependência dos Trios Elétricos em paralelo com as Troças com Orquestras de frevo, o Carnaval de Vitória vai se redesenhando para um novo formato, e isso se desenvolve à margem do Poder Público. Quem sempre fez e continua fazendo o tradicional carnaval de Vitória é o povo. Sabendo desta singularidade, as entidades que congregam os guerreiros diretores destas agremiações precisam se unir e discutir os novos desafios que se colocam diante do Carnaval da Cidade, para evitar em médio prazo que nós percamos um dos grandes patrimônios da Terra das Tabocas.