Ceclin
nov 24, 2008 2 Comentários


Federais do Estado ainda não possuem o sistema de cotas

Publicado em 22.11.2008

Nenhuma das três universidades federais existentes em Pernambuco (UFPE, UFRPE e Univasf) adota o sistema de cotas no vestibular. Na UFPE há um bônus de 10% para alunos que estudaram todo o ensino médio em escola pública, caso sejam candidatos a cursos do Recife. Para os concorrentes às vagas das unidades acadêmicas de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, e Caruaru, no Agreste, o benefício é concedido a quem estudou o ensino médio em escola pública ou particular que não esteja situada no Grande Recife.

Anteontem, a Câmara Federal, em Brasília, aprovou, a reserva de 50% das vagas nas universidades federais para alunos oriundos da rede pública. Dentro desse quantitativo há uma reserva para cota racial. O projeto precisa passar pelo Senado e ser sancionado pelo presidente Lula para virar lei.
O reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Valmar Correa, diz que o assunto nunca foi debatido na instituição. Ele não demonstra interesse em adotar cotas na Rural. “Se o governo aprovar, vamos aplicar a lei. Mas a reserva de vagas precisa ser bastante analisada. Acho que vale discutir as cotas socioeconômicas. Não considero uma boa as que tratam de questões raciais”, observa Valmar Correa.
Pelo texto aprovado na Câmara Federal, a quantidade de vagas para a cota racial levará em conta a população negra, parda e indígena de cada Estado. “Como será no caso da nossa universidade, que tem câmpus em Pernambuco, Bahia e Piauí?”, questiona o vice-reitor em exercício da Univasf, Paulo César da Silva Lima.
» EDUCAÇÃO
Pernambuco tem avaliação ruim no Enem
Publicado em 22.11.2008
A nota da prova objetiva dos estudantes pernambucanos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado em agosto pelo Ministério da Educação (MEC), caiu em relação ao ano passado. O mesmo aconteceu com a média nacional. Na redação, o Estado melhorou o desempenho, embora o aumento não chegue a dois pontos. No Brasil, também cresceu o resultado na redação. As notas foram divulgadas anteontem à noite pelo governo federal.
Pernambuco teve nota 40,05 no teste objetivo este ano, quando em 2007 alcançou 49,75, uma queda de nove pontos. Nacionalmente, a média foi 41,69, contra 51,52 ano passado. Em redação, os jovens do Estado somaram 57,29 pontos, um pouco acima dos 55,35 registrados no exame anterior. No País, essa média foi 59,35, enquanto no ano passado era 55,99.
Ao comparar o desempenho nacionalmente, percebe-se que Pernambuco obteve a melhor nota no exame objetivo das regiões Norte e Nordeste. Coube ao Rio Grande do Sul a maior nota brasileira, 45,06. Na redação, o Estado ficou na 22ª posição do País. Entre os nove Estados nordestinos, ocupa a terceira pior colocação, melhor apenas que Rio Grande do Norte (57,04) e Alagoas (56,13), Estado que teve a nota mais baixa do Brasil.
Quando se observa a origem dos estudantes, o resultado favorece os alunos concluintes das escolas particulares. Na prova objetiva, enquanto os jovens que estudaram em colégios pagos somaram 53,28 pontos, os da rede pública tiveram nota 33,75, uma diferença de 20 pontos.
(Jornal do Commercio).