Ceclin
ago 07, 2019 0 Comentário


Ex-prefeita e ex-servidores são presos por suspeita de fraudes em Amaraji e Gameleira

Os materiais apreendidos foram levados pela equipe da Draco. Foto: Edmar Gomes/Amaraji

Os materiais apreendidos foram levados pela equipe da Draco. Foto: Edmar Gomes/Amaraji

‘Prejuízo é muito grande, ultrapassa R$ 1 milhão’, diz gestor das Delegacias Especializadas, Jean Rockfeller. Também foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão.

Suspeitos de participar de uma organização criminosa que realizava crimes de lavagem de dinheiro, fraude em licitações e peculato nos municípios de Amaraji e Gameleira, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, são alvos das operações “Sequência Real” e “Carta Marcada” deflagradas na manhã desta quarta-feira (07/8) pela Polícia Civil de Pernambuco (PCPE). Ex-prefeita e ex-servidores municipais estão envolvidos, e os desvios chegaram a aproximadamente R$ 1 milhão.

Segundo o gestor das Delegacias Especializadas, Delegado Jean Rockfeller, as investigações da Sequência Real, em Amaraji, foram iniciadas em maio deste ano e nove mandados de busca e apreensão domiciliar estão sendo cumpridos no Município. Já em Gameleira, as investigações da operação Carta Marcada começaram em dezembro passado e, durante a operação desta quarta-feira, estão sendo cumpridos nove mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão domiciliar.

“Os alvos são ex-servidores das Prefeituras de Gameleira e Amaraji que, na gestão passada, fraudavam licitações de serviços de assessoria técnica e jurídica, entre eles, cinco são mulheres e quatro homens. As empresas envolvidas ganhavam as licitações, mas não ofereciam os serviços à gestão”.

Ainda segundo o Delegado, a ex-prefeita de Gameleira Yeda Augusta Santos de Oliveira (eleita em 2012 pelo PDT) é uma das suspeitas e já foi presa na manhã desta quarta-feira. “Além dela, o advogado Geraldo Gonçalves também fazia parte da organização criminosa. Ele prestava serviços para as duas prefeituras através de uma empresa e favorecia licitações nas duas cidades, somando um prejuízo total de aproximadamente R$ 1 milhão aos cofres públicos”, afirmou. Os nomes dos outros presos, bem como as empresas envolvidas no esquema, não foram divulgados pela Polícia Civil.

O delegado Jean Rockfeller é gestor das Delegacias Especializadas — Foto: Reprodução/TV Globo

O Delegado Jean Rockfeller é gestor das Delegacias Especializadas — Foto: Reprodução/TV Globo

As investigações estão vinculadas ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco), sob a presidência da Delegada Isabela Veras, da DIRESP – Diretoria Integrada Especializada. Ao todo participam das duas operações, 150 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Os homens presos estão sendo encaminhados ao presídio de Palmares e as mulheres, à Colônia Penal Feminina do Recife. Os detalhes destas operações serão apresentados à imprensa nesta quinta-feira (08) durante entrevista coletiva.