Ceclin
Maio 03, 2019 0 Comentário


Evento com reitores de Pernambuco discute ameaças à autonomia universitária

Reitores da UFPEA Academia Pernambucana de Ciências e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) realizam o evento aberto ao público “Ameaças à autonomia universitária” na quarta-feira (08/5), às 14h30, no auditório do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Coordenada pelo ex-reitor Amaro Lins, a mesa-redonda conta com os reitores Anísio Brasileiro (UFPE), Anália Ribeiro (Instituto Federal de Pernambuco), Julianeli Tolentino (Universidade Federal do Vale do São Francisco), Maria José Sena (Universidade Federal Rural de Pernambuco) e Pedro Falcão (Universidade de Pernambuco).

Em seguida, às 16h30, haverá um momento para apresentação de propostas dos candidatos à Reitoria da UFPE, os professores Alfredo Gomes, Daniel Rodrigues, Edilson Souza, Florisbela Campos e Jeronymo Libonati. Saiba mais sobre os candidatos no hotsite da consulta à comunidade universitária para escolha do reitor e do vice-reitor.

 Cortes no Orçamento

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Pernambuco, reunido na quinta-feira (02/5), recebeu com profunda preocupação a notícia do bloqueio de 30% do orçamento da UFPE, promovido pelo Ministério da Educação. No total, estão bloqueados R$ 55,8 milhões, sendo R$ 50 milhões relativos à manutenção e R$ 5,8 milhões destinados a investimentos.

A Universidade enfrentará sérias dificuldades para honrar seus contratos de manutenção, como pagamentos de energia elétrica, água, telefone, segurança, manutenção e conservação predial. Já o corte de recursos de investimentos prejudicará as atividades de ensino de graduação e pós-graduação, pesquisa e extensão, que dependem dessas verbas para a melhoria da infraestrutura de salas de aulas e laboratórios, bem como para a aquisição de equipamentos e materiais.

Se essa situação de bloqueio do orçamento das instituições federais de ensino superior não for revertida, a UFPE terá seu funcionamento no segundo semestre letivo fortemente comprometido, o que prejudicará a qualidade e a execução de suas atividades fim e de gestão, impossibilitando a prestação adequada de serviço e comprometendo a sua missão institucional.

Assim, é de fundamental importância o apoio da sociedade contra o corte no orçamento das universidades públicas, configurando-se a necessidade de mobilização da comunidade acadêmica, dos parlamentares pernambucanos, dos governos estadual e municipais, dos setores empresariais e das organizações sociais e de ciência e tecnologia, em defesa da UFPE, patrimônio da sociedade brasileira.