Ceclin
jun 28, 2010 19 Comentários


Estudantes resgatam a história de Martha de Hollanda

A Escola Weigélia Galvão com o competente professor Johnny Retamero de Lemos que teve a iniciativa de criar o “Projeto Aula de Campo Interdisciplinar”, levando seus alunos a pesquisar e montar uma exposição sobre Antônio de Melo Verçosa, decidiu fazer o “Projeto Aula de Campo Interdisciplinar II” um mergulho no mundo de Martha de Hollanda Teixeira de Albuquerque.

Além de homenagear Martha de Holanda, o professor Johnny incentiva seus alunos das 8ª séries a aprofundar conhecimentos sobre personagens ilustres da sociedade vitoriense que marcaram época em seu tempo.

No dia 9 de junho de 2010 o professor Johnny Retamero levou seus alunos para visitar o Sobrado Nestor de Holanda e a antiga farmácia da família Hollanda, situada na Rua Prefeito João Cleofas de Oliveira próxima a Praça Duque de Caxias.
Recebidos e guiados pela Dra. Diva Hollanda que mostrou com extremo zelo e dedicação detalhes do antigo casarão de sua família que foi construído em 1817 e tombado recentemente pelo governo do Estado através do Conselho Estadual de Cultura que declarou o mesmo como Patrimônio Histórico o monumento vitoriense.

Sob o olhar atento dos alunos, Dra. Diva mostrou fotos de seus antepassados, detalhes da restauração que está deixando o casarão como foi construído originalmente, ressaltando que pisos e janelas foram restaurados conforme planta original.

Visivelmente emocionada Dra. Diva lembrou que há pouco tempo o secular prédio correu o risco de ser descaracterizado, pois a gestão municipal na época queria transformá-lo em uma unidade de saúde.

“Foi um esforço muito grande, trabalhei contra o tempo e contra todos, mas consegui reverter o processo e a documentação necessária para que o prédio fosse tombado, agora pretendo terminar a restauração e dar um destino cultural para o prédio”, declarou Dra. Diva.

Após muitas fotos, perguntas e anotações, os alunos foram até o térreo para conhecer a farmácia e a fachada antiga do edifício onde a anfitriã agradeceu a visita e disse que sempre estará à disposição dos alunos para qualquer tipo de esclarecimentos.

Para dar um maior incentivo aos alunos, o Blog A VOZ DA VITÓRIA abriu um espaço e convidou aos que estão envolvidos com esse projeto para serem correspondentes e assinarem as matérias referentes à Martha de Hollanda. O aluno da 8ª série A, Elivelton Alysson dos Santos Lima, nos enviou algumas informações que foram colhidas no livro História da Vitória de Santo Antão (1983), enriquecido com os relatos da Família Holanda.

Confira adiante alguns dados sobre Martha Hollanda e sua família.

Por Elivelton Alisson.

Martha de Hollanda Teixeira de Albuquerque, nascida na cidade da Vitória de Santo Antão no dia 02 de Março de 1903, foi casada com o poeta e historiador José Teixeira de Albuquerque.

Martha era filha do farmacêutico Nestor de Hollanda Cavalcanti, foi a única mulher a cursar o normal médio, sendo a primeira eleitora a votar em Pernambuco.

A vida intelectual de Martha de Holanda teve inicio em 1928 e sua obra literária era vasta com publicações em revistas, almanaques, magazines, jornais etc.

Alguns fatos que marcaram sua história foi a sua participação na “Cruzada Feminista Brasileira” com sua candidatura a deputada em 1930, mesmo ano do lançamento de seu livro o “Delírio do Nada”, publicação de grande sucesso.

É curioso citar que Martha na sua juventude depilava as pernas e axilas e fazia questão de dizer a todos e por isso era alvo de muitas críticas (hoje é tido como ato de higiene). Em seu casamento colocou um menino “nú” para levar as alianças que causou embaraço aos convidados e deixando o padre horrorizado. Martha de Holanda morreu no dia 24 de junho de 1950.

Manoel de Hollanda Cavalcanti, nasceu na cidade da Vitória de Santo Antão no dia 18 de novembro de 1897, filho de Joaquim de Hollanda Cavalcante e Olindina de Holanda Cavalcanti, iniciou seu estudo na antiga Escola Modelo hoje Grupo Cardeal Roncalle, seu primeiro emprego foi de auxiliar na Farmácia Popular de seu tio Nestor de Holanda Cavalcanti e aproveitava o tempo para estudar, tornando-se um notável escritor e professor de Francês do Colégio 3 de Agosto.

Escrevia poesias, crônicas para os jornais locais e exerceu o cargo de Tabelião no 1º Cartório de Registros Civis. Foi prefeito da cidade de Vitória de Santo Antão de 1951 a 1955, sendo o primeiro prefeito a abaixar o próprio salário e dos vereadores, fato que causou grande discussão.

Construiu a Praça Félix Barreto e restaurou a Praça do Iracema, também calçou o trecho que vai do Livramento ao Cemitério, foi sócio e fundador do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão.

Nestor de Hollanda Cavalcanti Neto, nasceu no dia 1 de dezembro de 1921 em Vitória de Santo Antão, seu pai Nestor de Hollanda Cavalcanti Filho, era farmacêutico e sua mãe Maria de Lourdes Galhardo de Holanda Cavalcanti era médica.

Aos 17 anos fez parte de um grupo de jovens que iniciavam na imprensa e nas letras, Nestor publicou o livro de poemas “Fontes Luminosas”, escreveu também a comédia “Sossego, Rua da Revelação”. Foi convocado para o Exército aos 19 anos, onde ganhou o apelido de Sargento Iolanda (porque os recrutas confundiam seu nome Hollanda com Iolanda), apelido que o acompanhou para sempre. Escritor, compositor, poeta, cronista, assim foi Nestor de Hollanda Cavalcanti Neto.