• Ceclin
jun 16, 2011 0 Comentário


Estrada de Terra Preta é discutida com secretário estadual de transportes

A estrada de Terra Preta – principal acesso ao IFPE Campus Vitória de Santo Antão e que liga a antiga BR-232 à comunidade do Oiteiro – foi o tema da reunião realizada entre representantes de instituições e comunidades do entorno da via e o secretário de Transportes de Pernambuco, Isaltino Nascimento, na tarde desta terça-feira (14/06), no prédio da Secretaria, no Recife.
Durante o encontro, o representante do governo estadual anunciou que irá autorizar o processo licitatório para o projeto executivo do asfaltamento da estrada.

Estiveram presentes no encontro representantes das comunidades de Oiteiro, Natuba, Pirituba, Jussaral, Palmeira e Apoty e da Associação Maria Amélia (AMA); além da superiora do Damas Vitória, Irmã Eliane; a diretora geral do campus Vitória, Velda Martins; e a reitora do IFPE, Cláudia Sansil.

Na reunião, os representantes falaram sobre a importância da estrada para o desenvolvimento das comunidades rurais, bem como para o acesso ao IFPE campus Vitória, ao sítio do Damas e à AMA, associação voltada para a recuperação de dependentes químicos. A diretora Velda Martins descreveu as dificuldades que as cerca de mil pessoas enfrentam diariamente para chegarem à escola. “Muitas vezes, devido às chuvas, nossos alunos e servidores não conseguiram chegar ao campus. Neste ano, por exemplo, tivemos que suspender as aulas por dois dias porque as fortes chuvas deixaram a estrada intransitável”, relembrou.

Após ouvir os relatos, o secretário recebeu um abaixo assinado com 8.694 assinaturas em favor do asfaltamento da estrada, além de um documento conjunto com as solicitações das entidades envolvidas.
Em seguida, Isaltino Nascimento anunciou as medidas a serem tomadas em relação à estrada: “Nós vamos agora autorizar o processo licitatório para o projeto executivo – isso deve demorar cerca de 60 dias. Após esse prazo haverá uma empresa vencedora para elaborar o projeto, que deve durar mais 120 dias. Acredito que até o final do ano nós já teremos noção de quanto custará a obra. Sabemos que, em média, o custo de cada quilômetro é de R$ 1 milhão para se fazer uma rodovia. Como a informação que foi dada é que toda a estrada tem 12 quilômetros, então essa obra deve custar aproximadamente R$ 12 milhões”.

O secretário falou também sobre os benefícios que serão trazidos com a obra. “É uma obra importante, que vai ligar as comunidades e levar desenvolvimento econômico, gerar auto estima e melhorar a fluidez das pessoas, levando tranqüilidade para que elas possam viver com dignidade”, ressaltou o secretário.