Ceclin
jun 06, 2014 0 Comentário


Espaço criado pela PITÚ busca aproximar os visitantes a sua história

Procurando atender o grande público e contribuir como ferramenta turística para a região, o Centro de Visitação da Pitú funciona de terça a domingo, das 9h. às 16h30

por Lissandro Nascimento

No intuito de fazer uma homenagem aos fiéis bebedores de cachaça e também aqueles que não bebem, mas apreciam o empreendimento que fomenta a cultura da região, foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (06/06) o Centro de Visitação do Engarrafamento PITÚ LTDA, às margens da antiga BR 232, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana. Tradição das famílias Ferrer e Cândido Carneiro, há 75 anos a marca do camarão de água doce tem abrangência nacional e é exportada para os Estados Unidos, México, Chile, Japão, China, alguns países da Europa e do Mercosul, e em razão disso, nada mais pertinente deter um espaço que conte sua história e aproxime as gerações. O Centro é aberto de terça a domingo, das 9h. às 16h30.

“Este Centro de Visitação representa um antigo desejo de preservar a memória histórica desta fábrica e atender as expectativas de centenas de visitantes que vêm conhecer a Pitú mensalmente, além de valorizar o patrimônio histórico e cultural da Vitória de Santo Antão, através das peças publicitárias que estamos montando”, afirmou Maria das Vitórias, uma das diretoras da fábrica na abertura do evento que foi prestigiada por autoridades, empresários, imprensa e por toda a família que detém suas raízes fincadas em Vitória. Fundada em 1938 pelo avô de Alexandre Ferrer, Severino Ferrer e o amigo dele, Joel Cândido Carneiro, a empresa produz, apenas de bebidas que levam aguardente na composição, sete milhões de litros. O último lançamento, a cachaça Vitoriosa, um blend nobilíssimo, trata-se de uma bebida premium, com embalagem refinadíssima, trazendo, além da garrafa com designer moderno, um pedaço do carvalho francês no qual a cachaça foi armazenada.

O Centro de Visitação da PITÚ fica situado ao lado do seu símbolo, a grande garrafa da empresa, cenário de milhares de visitantes que por lá passaram e passam para o registro fotográfico, local batizado de Sala Áurea Ferrer de Moraes, matriarca falecida. O espaço moderno e de bom gosto, serve como acervo para guarda de suas relíquias, a exemplo de garrafas e rótulos utilizados ao longo das sete décadas, além de artefatos, souvenirs e brindes, mini sala de cinema, painel com a cronologia histórica do engarrafamento descrevendo o quanto a PITÚ detém raízes históricas e culturais com o povo da Vitória de Santo Antão.

Centro de Visitação será aberto de terça a domingo. Fotos: Marcio Souza / A Voz da Vitória

Um dos pontos pitorescos da exposição foi o primeiro desenho criado para ser o que é hoje a grande marca Pitú. A pedido da família, o escritor e poeta vitoriense Henrique de Holanda fez de modo artesanal o primeiro designer do rótulo. Este fato, inclusive, é contado detalhadamente no livro “República da Cachaça, Vitória de Santo Antão”, também exposto neste Centro, de autoria de Pedro Humberto Ferrer de Moraes, quando este faz um apanhado histórico da época dos Engenhos na Zona da Mata pernambucana, procurando retratar o grande polo que se tornou Vitória como produtora e distribuidora da cachaça para todo o País. “Faço parte da terceira geração da família à frente da empresa. Este Centro de Visitação além de preencher uma necessidade de nossos visitantes, representa um legado de antigas e novas gerações”, comentou o diretor da empresa Alexandre Ferrer.

Confira a entrevista com Maria das Vitórias…