Ceclin
ago 29, 2017 0 Comentário


Escada recebeu eventos voltados à prática da Capoeira

capoeira em EscadaO Município de Escada, na Mata Sul, recebeu dois eventos realizados neste mês de agosto que marcaram a importância da capoeira. O primeiro, promovido em 13 de agosto, valorizou as “Vivências da capoeira com os mestres”. O encontro foi realizado pela Associação de Capoeira Liberdade Brasil, no bairro Jaguagibe, liderada pelo mestre Gibi e contou com participação de representação de municípios como Garanhuns, Caruaru, Ribeirão e outros.

Já no último final de semana (25 a 27) a Associação de Capoeira Volta que o Mundo Dá, realizou o Festival Nacional de Capoeira, uma junção de fórum de capoeira, destacando danças e batizado. Em outro evento, a Nzinga marcou um encontro feminino aonde apenas mulheres foram protagonistas.

Dentre as atividades do festival, destacam-se: diálogo com Mestre Robson de Aracaju; Corcorã, da Bahia; Tchê de Recife. Tudo isso no no Fórum Nacional de Capoeira, que aconteceu no dia 25.

No sábado (26/8), durante o dia do Nzinga, no Cabo de Santo Agostinho, foram realizadas várias oficinas com a Mestra Jô, do Juazeiro da Bahia, Mestranda Selva, de Pernambuco; e contramestra Sapeca de Salvador e muita roda de capoeira. À noite,  palestra com as oficineiras, uma representante do Centro das Mulheres do Cabo de Santo Agostinho, que abordaram a temática “As mulheres na capoeira”, concluindo com o show da Mestranda Kalu, de São Paulo.

Escada - capoeiraO evento teve desfecho no domingo (27) com Batizado de Capoeira que aconteceu na sede do Lions Club de Escada. Para um dos organizadores, o contramestre Ricardo Paiva, o evento foi extremamente positivo. “Todos saímos encantados e dispostos a defender a capoeira como elemento de mobilização e transformação e inclusão sócio-cultural”.

Representações da Bahia, Sergipe, Recife, Cabo de Santo Agostinho e de outros municípios de Pernambuco demonstraram a importância da capoeira como instrumento de mobilização e integração social. A organização do festival contou ainda com a participação da Monitora Pretinha, Monitora Kinha, sob a supervisão do Mestre Marco Angola. “A capoeira sempre demonstrou tradição em Escada. Há pelo menos 20 anos tem sido uma prática constante em nosso município, especialmente, motivado pela garra e força da cultura afro em nossa cidade”, destacou o secretário de Educação, professor John Kennedy.

com informações da Assessoria