Ceclin
Maio 27, 2009 0 Comentário


Escada: Prefeitura anula concurso

O prefeito de Escada, Jandelson Gouveia (PR), antecipou-se a uma possível recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e anulou o concurso público municipal realizado no ano passado. Com a decisão, publicada em forma de portaria no Diário Oficial do Estado, os cerca de 9 mil inscritos terão de fazer outra prova para as 366 vagas disponibilizadas em diversos setores da prefeitura.

A relatora do processo, conselheira Teresa Duere, deve emitir parecer sobre o assunto nos próximos dias, mas a análise do Ministério Público de Contas (MPCO) é de que há indícios de irregularidades no concurso.A portaria é baseada no relatório de auditores do TCE.
E, de certa forma, respinga sobre a gestão municipal. Jandelson Gouveia, que não foi localizado ontem pela reportagem do Diario, lista entre as razões para anular o concurso as evidências de uma possível fraude na licitação para escolha da empresa responsável pelas provas, a Interset.
Os auditores do TCE encontraram indícios de que as declarações para a fase de habilitação e as propostas das três empresas participantes da licitação foram preenchidas por uma mesma pessoa. Isso comprovaria que não houve “concorrência real entre os participantes” configurando crime.

Ao todo, o prefeito enumera 12 possíveis problemas no concurso, cujas provas já haviam sido realizadas duas vezes. As primeiras ocorreram em dezembro de 2007 e foram canceladas por irregularidades como falta de cadeiras para candidatos fazerem as provas. Já o segundo processo ocorreu em abril do ano passado. Nessa última seleção, segundo o prefeito, ainda recorrendo ao relatório dos auditores, vários candidatos tiveram suas notas aumentadas ou diminuídas quando tiveram seus nomes colocados entre os aprovados.
A portaria diz, ainda, que algumas pessoas foram incluídas entre os aprovados para um cargo, quando concorreram a outro.”Conferi meu gabarito e vi que estaria aprovado, porém meu nome não apareceu na lista”, reclama um dos candidatos às vagas de guarda municipal. Ele preferiu o anonimato por temer represálias políticas na cidade. A maior parte dos inscritos são de Escada, mas há pessoas de quase toda a Mata Sul e da Região Metropolitana.

À frente das denúncias ao TCE, o ex-vereador Orlando Melo entende que o concurso deveria ter sido cancelado há meses. “Os candidatos perderam tempo e dinheiro, e a prefeitura, credibilidade”, resumiu. Para as novas provas, as pessoas já inscritas serão isentas do pagamento de taxas de inscrição.
(Diário de Pernambuco).