Ceclin
nov 02, 2008 4 Comentários


Entrevista com o Reitor da UNIVASF

por Anderson Diego,

de Petrolina.

Prof. Dr. José Weber Freire Macedo,
Reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF

Breve Currículo:
– Graduado em Psicologia (UNESP – Bauru – São Paulo)
– Mestre pela Universidade dos EUA em Psicologia Organizacional
– Doutor pela Universidade da Grã-Bretanha em Administração Social
– Reitor por 8 anos da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
– Reitor da UNIVASF desde 2005 – Reeleito neste ano por mais 4 anos

Entrevista:

Blog – Quais os desafios encontrados para a instalação da UNIVASF e seu campus?

W. M. – Primeiro o de provar o caráter regionalista da Instituição, isto é, sem pertencer necessariamente a nenhuma cidade – UNIVASF tem Campus nas cidades: Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e São Raimundo Nonato (PI). Segundo o esforço concentrado do Governo Federal, em viabilizar recursos para a instalação da UNIVASF nesta região do Semi-árido, fruto de uma política educacional acertada do Presidente Lula. Pois, diferentemente de outras épocas, a exemplo, da política educacional do até então Ministro da Educação Paulo Renato (Governo FHC), de sucateamento da Universidade Brasileira, que passava por “necessidades brutais” (sem abertura e reestruturação dos cursos, recursos financeiros defasados, conseqüentemente um desmantelamento da estrutura público-educacional brasileira), detalhe, tínhamos um sociólogo Presidente da República (Fernando Henrique Cardoso – FHC), alguém que vivenciou a Ditadura Militar e participou de muitas manifestações populares, porém, conseguiu fazer uma gestão pífia com relação à educação de nosso País. Atualmente, percebemos uma gestão de “visão” por parte do Ministro da Educação – Fernando Haddad (Governo Lula), de investimentos e ampliação da Universidade. A UNIVASF é um exemplo real disso, além dos programas recém lançados, como o REUNI que visa resgatar a qualidade do ensino e a permanência do estudante na Universidade de nosso País.

Blog – As perspectivas que esta região começa a viver com a instalação da UNIVASF?

W. M. – A permanência do estudante, filho da terra, que possa estudar e desenvolver a sua região, sem necessariamente, imigrar para outros Estados em busca de estudos e/ou oportunidades de emprego. A UNIVASF trouxe consigo um novo conceito social, o de oferecer uma educação pública de qualidade, tendo a intenção de potencializar seus estudantes, para que os mesmos possam exercer o papel de “transformadores” da sociedade, gerenciando as políticas reais e necessárias para a manutenção de todos.

Blog – Na sua visão, quais as perspectivas da educação brasileira, na atualidade?

W. M. – Otimista! Porém, acredito que existe uma lacuna que precisa ser observada, que é a formação básica das pessoas, acredito que as nossas Escolas necessitam de mais investimentos, com a abertura de Escolas de Ensino Integral, que possibilitariam a ampliação da escolaridade das pessoas.

Blog – A UNE e a UEP tem realizado diversas Caravanas e debates nas Universidades/Faculdades brasileiras, no intuito de fomentar o anti-projeto de Reforma Universitária da UNE (construído pelos estudantes de todo o País). Em sua opinião, quais pontos e/ou lacunas que a Reforma Universitária precisa de forma imediata atender?

W. M. – Creio que farei um contraponto, pois, a reestruturação proposta pelo REUNI não está sendo feita, o que está acontecendo é a expansão do ensino superior. Por isso, necessitamos de uma reforma que trate da real reestruturação da Universidade Brasileira, no sentido gerencial e acadêmico (reestruturação das grades curriculares, tempo de estudos dos alunos, profissões, atividades de ensino-pesquisa-extensão). Outra coisa que percebo, é certa conveniência do MEC, pois, quando se trata das temáticas que incomodam (temáticas principais), a Autonomia de solucionar e/ou intervir é das Universidades, mas, quando essas não incomodam, é papel do MEC decidir e/ou intervir.

Blog – Quais investimentos e/ou perspectivas futuras espera a UNIVASF?

W. M. – Um contínuo apoio do Governo Federal, com a instalação de equipamentos, laboratórios, contratação de professores, dentre outros. Creio que vencendo essa crise financeira, causada pelo capitalismo, se dará continuidade aos investimentos que aqui se instalam. E reforço, que necessitamos do Estado nas principais necessidades da população.

Blog – Qual a mensagem que o Reitor nos deixa?

W. M. – “A liberdade e a democracia foram a conquista de uma geração que foi humilhada, degradada, morta, perseguida. Preservar esses princípios é a principal tarefa dessas e das próximas gerações.”


Por Anderson Diego,
Estudante de Marketing da FACOL, Tesoureiro Geral da União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) e Membro da Direção Estadual da UJS – Pernambuco.