Ceclin
mar 11, 2010 0 Comentário


Enem terá só uma edição este ano

Publicado em 11.03.2010

A decisão foi anunciada ontem pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. A ideia inicial era realizar uma prova no primeiro semestre e outra no segundo
SÃO PAULO – O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou ontem pela manhã que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não será mais realizado neste semestre. No fim do ano passado, Haddad havia afirmado que a prova teria duas edições por ano, uma entre abril e maio e a outra em outubro. Com a decisão de ontem, a prova terá, como em 2009, apenas uma edição, no segundo semestre.
O exame foi cancelado porque o Ministério da Educação (MEC) não conseguiu contratar diretamente, ou seja, sem licitação, uma empresa para aplicar a prova. Para isso, o MEC precisaria do aval de órgãos federais como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria-Geral da União (CGU).
De acordo com o MEC, Haddad passou os últimos meses tentando convencê-los de que não é seguro fazer licitação – em que pesa o preço mais baixo – para uma prova nos moldes do Enem, com milhões de candidatos. Quando não havia mais tempo para o contrato e a organização da prova, o TCU e a CGU concordaram com o ministro.
A discussão sobre a contratação da empresa organizadora do Enem ganhou força com o vazamento do exame no ano passado, quando o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), da Universidade de Brasília (UnB), substituiu o consórcio responsável até então.
Para Haddad, pode faltar experiência à empresa selecionada por licitação. Foi o que aconteceu em outubro de 2009, quando a prova que estava sob responsabilidade do consórcio Connasel vazou e precisou ser remarcada para dezembro.
O fato de ser difícil anular uma licitação, caso uma empresa pouco adequada seja selecionada, também pesou no MEC. Se fosse preciso uma anulação, a empresa vencedora poderia acionar a Justiça para suspender o processo, atrasando mais uma vez a realização do Enem.
Em entrevistas, Haddad chegou a dizer que gostaria de transformar o Cespe em uma espécie de Fuvest, fundação que faz o vestibular da Universidade de São Paulo (USP). “O Cespe mostrou uma notável capacidade ao realizar o Enem em 40 dias”, disse, ontem, em visita à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
No Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do MEC responsável pela elaboração das questões da prova do Enem, poucos sabiam que o exame não seria mais realizado no primeiro se
mestre deste ano. Relatório concluiu que a prova não poderia ser aplicada agora por falta de tempo para garantir a segurança mínima para sua realização. A prova deve ocorrer somente no fim de outubro.
VAGAS
Algumas universidades federais dependem de uma nova edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para preencher as vagas dos cursos que começam no segundo semestre. O governo federal, porém, não confirma se, sem a realização do Enem em abril, reabrirá o Sisu no meio do ano.
A Secretaria de Educação Superior do MEC, responsável pelo sistema de seleção, informou ontem que “não há nada definido” e que as opções serão avaliadas após o encerramento da atual edição do Sisu. Caso o processo seletivo seja reaberto, os candidatos poderão usar a nota obtida no Enem 2009.
(Jornal do Commercio).