Ceclin
mar 24, 2021 0 Comentário


Encontro aponta medidas para solucionar conflitos fundiários da Mata Sul

Medidas para solucionar conflitos fundiários da Mata Sul são pautadas durante reunião. Foto: Divulgação/Iterpe.

Em continuidade às discussões que buscam as soluções pacíficas para os conflitos fundiários na Mata Sul do Estado, o Instituto de Terras e Reforma Agrária (Iterpe) participou, nesta quarta-feira (24.03), de videoconferência junto com comissão formada por órgãos do Governo de Pernambuco e os movimentos sociais. O principal objetivo da reunião foi tratar sobre as medidas conjuntas que visam minimizar os conflitos fundiários nos municípios de Maraial, Catende, Barreiros e Jaqueira.

Durante a videoconferência foi tratado o cronograma de trabalho que visa promover ações amigáveis a respeito aos conflitos agrários das áreas ocupadas por cerca de 3 mil famílias rurais no total, na região da Mata Sul. Dentre os imóveis rurais envolvidos nas deliberações de forma pacífica, estão os engenhos Fervedouro e Barro Branco, localizados no município de Jaqueira; o Engenho Batateiras, em Maraial; o Engenho Paud’ólio, em Catende, e Engenho Roncadozinho, em Barreiros.

A reunião, mediada pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), contou com a participação do presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe), Henrique Queiroz, do secretário da SJDH, Pedro Eurico; do secretário executivo da SJDH, Diego Barbosa; do secretário de Desenvolvimento Agrário (SDA), Claudiano Martins Fillho; dos representantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Plácido Júnior, Gabriela Rodrigues e Bruno Ribeiro, e da presidente da Fetape, Cícera Nunes.

Junto com o presidente do Iterpe, participaram da reunião a equipe do Instituto, Bartolomeu Vieira (Jurídico); Ivison Silva (Ações Fundiárias) e Cleodon Ricardo (Monitoramento).