Ceclin
ago 03, 2013 0 Comentário


Em Vitória, solenidade do Instituto Histórico marca os 368 anos da Batalha do Monte das Tabocas

Em comemoração aos 368 anos da Batalha do Monte das Tabocas, a Diretoria do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão (IHGV), promoveu na noite dessa sexta-feira (02), uma solenidade com o intuito de relembrar a história do Município, que contou com a participação dos professores Hely Ferreira, José Ernane Souto Andrade e Marcelo Hermínio, além da força Militar da Cidade (Tiro de Guerra – TG 07/004). Também marcaram presença no evento, o Deputado Federal Fernando Ferro (PT), a Secretária Municipal de Educação Maria José Lira, bem como representantes da Câmara de Vereadores, tais como Edvaldo Bione (PMDB), Dr. Saulo Albuquerque (PSB), Edinho (PMN) e Edmilson Zacarias (Novo da Banca – PSD).

A noite também marcou a tomada de posse do mais novo sócio do Instituto Histórico, o Subtenente Enoque Alves Soares (ST. Soares), pelo qual exerce atualmente o cargo de Chefe de Instrução do Tiro de Guerra. Natural do Ceará e oriundo do 9º Grupo de Artilharia de Campanha (Nioaque-MS), onde desempenhava a função de Sargento Brigada da Unidade, o mais novo sócio possui uma carreira militar extensa, tendo passagem também na corporação da Polícia Militar de seu Estado.

(Subtenente Soares, tornou-se nesta sexta, dia 02, sócio do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória. Ao seu lado, Major Eudes, ex- Comandante do Tiro de Guerra Vitória).

Já no Exército Brasileiro, nos anos de 1993 e 1994, foi Instrutor do Curso de Formação de Sargentos (CFS), no 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve (20º GAC L); em 1991 participou do Curso de Formação de Sargentos de Artilharia; e entre as diversas formações consta também o Curso de Perícia em Explosivos, realizado pelo Sindicato dos Engenheiros Civis do Estado do Ceará, em 2002.

Formado em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (Ceará/2006), o mais novo sócio do IHGV, garantiu perante juramento à Instituição, contribuir e colaborar com a história da cidade. Major Eudes, ex-comandante da Instrução Militar também esteve presente no evento, participando também da tomada de posse como padrinho.

Professora Lúcia Beltrão, ex-secretária do Instituto foi homenageada na oportunidade. Querida na sociedade, Lúcia atuou por muitos anos no Colégio Nossa Senhora da Graça (DAMAS), na antiga GERE (atual GRE), além da Academia Vitoriense de Letras. Na sua batalha incansável, ela presidia o Lar Espírita de Idosos São Francisco de Assis, a qual dedicou muitos anos de sua vida.

Acometida por um câncer, ela faleceu no ano de 2012. Parentes da professora receberam em mãos uma póstuma recordação, reproduzida em fotografia.

Localizado na Zona da Mata de Pernambuco, Vitória é signatária de uma longa história, ainda preservada pelo IHGV, através do Professor Pedro Férrer, o qual guarda as lembranças de outrora. Na noite dessa sexta, ele ressaltou a importância de relembrar o aniversário da cidade (comemorado no dia 03 de agosto), reforçando o convite à sociedade local em conhecer o Instituto Histórico, além de agradecer pela contribuição dada pelos vereadores (apenas 09), empresários e sócios do IHGV, na reforma do Sobradinho – outro prédio secular da cidade.

(Na foto: Deputado Fernando Ferro e o comunicador Jota Domingos).

O Deputado Federal Fernando Ferro e o professor Ernane Souto sinalizaram a respeito da busca pelo conhecimento por parte da sociedade local, afirmando que Vitória de Santo Antão carrega pedaços importantes da história de Pernambuco e isso deve ser levado ao conhecimento geral. “O Exército Brasileiro nasceu em Pernambuco, através da Batalha das Tabocas. O Povo de Vitória tem um grande futuro pela frente e precisa saber disso. Precisa conhecer sua história”, alertou Ferro.

Hely Ferreira, cientista político, defendeu a tese de afirmar que Pernambuco ainda carrega traços deixados pelos colonizadores, sendo o Nordeste um Estado fundamental no desenvolvimento e independência do Brasil. Marcelo Hermínio trouxe consigo as heranças arqueológicas e traços coloniais existentes no Estado.

Esses conhecimentos foram repassados através de slides ao público presente, que devidamente preencheu os assentos do Teatro Silogeu, na área central da cidade, precisamente, na Praça Diogo de Braga. Ao término da cerimônia, o Hino da cidade foi executado.

Confira imagens…